Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/12290
Title: Avaliação do efeito dos antimicrobianos benzilpenicilina estreptomicina e flucitosina, no crescimento “in vitro” de Leishmania braziliensis
Authors: Mello, Cintia Xavier de
Madeira, Maria de Fátima
Nóbrega, Armi Wanderley da
Abrantes, Shirley de Mello Pereira
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde. Comissão do Programa de Ensaio de Proficiência de Produtos Sujeitos ao Regime de Vigilância Sanitária. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde. Departamento de Química. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: As leishmanioses constituem um grupo de doenças infecciosas causadas por protozoários do gênero Leishmania. No diagnóstico laboratorial da Leishmaniose o isolamento em cultura é considerado padrão-ouro, entretanto tem como inconveniente a possibilidade de contaminação secundária por bactérias e fungos que inviabilizam o exame. A fim de minimizar a contaminação são utilizados antibióticos como benzilpenicilina e estreptomicina e antifúngicos como flucitosina. Concentrações ideais destes antimicrobianos, para que o isolamento do protozoário não seja prejudicado, necessitam ser estabelecidas. Neste trabalho estudou-se o efeito de diferentes concentrações dos antibióticos (benzilpenicilina e estreptomicina) e do antifúngico (flucitosina) sobre o crescimento de Leishmania braziliensis “in vitro”. Os resultados demonstraram que as concentrações de 1000 e 500 U/mL de benzilpenicilina e, 1000 e 500 μg/mL de estreptomicina e flucitosina, exerceram inibição significativa do crescimento do protozoário, indicando que essas substâncias devem ser utilizadas com certa cautela na rotina do diagnóstico das leishmanioses
Abstract: The leishmaniases are a group of diseases caused by protozoa of the genus Leishmania. In the laboratory diagnosis of leishmaniasisisolation in culture is considered the gold standard, but has the drawback the possibility of secondary contamination by bacteria and fungi that prevent the examination. To minimize contamination are used as antibiotics benzylpenicillin and streptomycin and flucytosine as antifungal agents, however it is necessary to seek optimal concentrations for the isolation of the parasite is not jeopardized. We studied the effect of different concentrations of antibiotics (Penicillin and streptomycin) and antifungal (flucitosine) on the growth of Leishmania braziliensisin vitro. The results showed that concentrations of 1000 and 500 µg/mL flucitosine and streptomycin and 1000 and 500 U/mL penicillin showed significant inhibition of parasite growth, indicating that these substances should be used with some caution in the routine diagnosis of leishmaniasis.
Keywords: Leishmaniasis
Diagnosis
Culture Media
keywords: Leishmaniose
Diagnóstico
Meios de Cultura
DeCS: Leishmaniose
Leishmania braziliensis
Diagnóstico
Anti-Infecciosos
Meios de Cultura
Penicilina G
Estreptomicina
Flucitosina
Issue Date: 2010
Publisher: Eskalab
Citation: MELLO, C. X. et al. Avaliação do efeito dos antimicrobianos benzilpenicilina estreptomicina e flucitosina, no crescimento “in vitro” de Leishmania braziliensis Analytica, São Paulo, v. 9, n. 49, p. 72-78, out./nov. 2010.
ISSN: 1677-3055
Copyright: open access
Appears in Collections:INCQS - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
analytica_49_72-78.pdf391.55 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.