Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/13327
Title: Estudo das características epidemiológicas da febre amarela no Brasil, nas áreas fora da Amazônia Legal, no período de 1999 a 2003
Other Titles: Study of the epidemiologic characteristic of the yellow fever in Brazil, in the areas outside the Legal Amazon, from 1999 to 2003.
Advisor: Sabroza, Paulo Chagastelles
Passos, Afonso Dinis Costa
Authors: Costa, Zouraide Guerra Antunes
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: A permanência do ciclo silvestre da febre amarela no território brasileiro tem estimulado estudos sobre sua complexa epidemiologia. No Brasil, esta doença tem um caráter endêmico e permanente nas regiões Norte e Centro Oeste, porém nos últimos cinco anos tem se manifestado de forma epidêmica fora da Amazônia Legal. Este trabalho tem como objetivo verificar a ocorrência e as características da febre amarela nas regiões fora dos limites da Amazônia Legal e compará-las com algumas características dos casos procedentes desta região no período de 1999 a 2003, analisando a reemergência de um padrão epizoótico-epidêmico. O referencial teórico aborda aspectos históricos, o ciclo básico da febre amarela silvestre, a espacialização de doenças, a teoria de foco natural de doenças e o processo infeccioso. Dois bancos de dados foram analisados, um relativo aos casos humanos e outro às mortes de primatas não humanos, ambos construídos na Gerência Técnica de Febre Amarela a partir de notificações oriundas das Secretarias Estaduais de Saúde. Foram confirmados 281 casos de febre amarela silvestre no período, sendo 176 (62,6%) fora da Amazônia Legal. Foram registradas mortes de primatas não humanos em 176 localidades de 100 municípios em cinco estados situados fora da Amazônia Legal. Observou-se que o processo epizoótico em primatas que, em geral, permite o aparecimento de casos humanos de febre amarela, encontra-se difundido atualmente para além da Amazônia Legal. A distribuição espacial desses eventos permitiu identificar sua ocorrência em áreas antropizadas dos diferentes biomas e bacias hidrográficas, predominando em locais com vegetação do tipo savana. São discutidas também as perspectivas de utilização das informações espaço-temporais de marcadores de epizootias no aperfeiçoamento da vigilância e controle de ações prospectivas.
Abstract: The permanence of the sylvatic cycle of yellow fever in Brazilian territory has stimulated a series of studies about the complex epidemiology of this disease. Historically, yellow fever is endemic in Northern and Central-Western areas of Brazil, but in the last five years epidemics have occurred outside the Amazon region. We conducted a study with the objective of verifying the occurrence and characteristics of yellow fever outside the Legal Amazonian limits, and compared the characteristics of cases occurring between 1999 to 2003, analyzing the reverse-emergency of an epizootic-epidemic pattern. The theoretical reference approached historical aspects, the basic cycle of sylvatic yellow fever, the geographical limits of the disease, the theory of natural focus of diseases and the infectious process. Two databases were analyzed; one related to yellow fever virus infection in humans, and another related to yellow fever-related deaths in non-human-primates. Both databases were compiled by the Technical Coordination for Yellow Fever (COVEV) in the Ministry of Health’s National Health Surveillance Secretariat (SVS), based on reports originating from State Secretariats of Health. Among a total of 281 confirmed human sylvatic yellow fever cases, 176 (62.6%) occurred outside the Legal Amazon region. Deaths among non-human primates were registered in 176 areas of 100 municipalities in five states located outside the Legal Amazon area. It was observed that the epizootic process among non-human primates was related to the emergence of yellow fever infection among humans which has now spread beyond the Legal Amazonian. The spatial distribution of those events allowed the identification of occurrence in areas of the different biomes and hydrographical basins modified by humans, most commonly in areas with savannah-type vegetation. Using perspectives of space and time information related to epizootic markers to improve surveillance and strengthen prospective actions to improve control of yellow fever were also discussed.
Keywords: Yellow fever
Epizootic
Foci of diseases
Epidemiology
Spatial analysis
keywords: Febre amarela
Epizootia
Foco de doenças
Epidemiologia
Análise espacial
DeCS: Febre Amarela
Distribuição Espacial da População
Epidemiologia
Issue Date: 2005
Citation: COSTA, Zouraide Guerra Antunes. Estudo das características epidemiológicas da febre amarela no Brasil, nas áreas fora da Amazônia Legal, no período de 1999 a 2003. 2005. 164 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2005.
Place of defense: Brasília/DF
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Program: Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ve_Zouraide_Guerra_ENSP_20052.24 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.