Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/14386
Title: Caracterização clínico-epidemiológica do dengue grave em crianças e adolescentesRio de Janeiro, 2007-2008
Advisor: Brasil, Patrícia
Hökerberg, Yara Hahr Marques
Members of the board: Daumas, Regina Paiva
Barros, Ana Cláudia Mamede W. de
Andrade, Carlos Augusto Ferreira de
Cardoso, Claudete Aparecida Araújo
Calvet, Guilherme Amaral
Authors: Pone, Sheila Moura
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: Em 2007-2008, o Rio de Janeiro viveu uma epidemia de dengue com 80.404 notificações, com 109 óbitos, 42% em < 15 anos. Objetivos: 1. Descrever a distribuição espacial e o perfil clínico-epidemiológico da epidemia de dengue por faixa etária no município do Rio de Janeiro. 2. Avaliar os fatores clínicos e laboratoriais preditivos de dengue grave em uma coorte de crianças internadas. Métodos: Esta tese foi formatada com dois artigos: 1) Distribuição espacial e caracterização clínico-epidemiológico do dengue no município do Rio de Janeiro; 2) Sinais clínicos e laboratoriais associados ao dengue grave em crianças hospitalizadas. Artigo 1: estudo ecológico com base no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do município do Rio de Janeiro (2007-2008). Foram incluídos todos os casos de dengue confirmados pelo critério clínico-laboratorial dos residentes do município do Rio de Janeiro. Foram descritas as variáveis sócio demográficas e clínicas (classificação do caso, hospitalização e evolução) segundo a idade. Foi utilizado o critério de classificação de caso do Ministério da Saúde de 2005 (febre do dengue, dengue com complicações e febre hemorrágica do dengue - FHD). Autocorrelação espacial das taxas de incidência, mortalidade e letalidade foi verificada pelos índices de Moran e de Geary Artigo 2: coorte retrospectiva das hospitalizações por dengue (até 18 anos) em uma unidade de referência (2007-2008). Dengue grave foi definido pelo uso de terapia de suporte avançado de vida ou óbito. Diferenças de medianas e de proporções foram avaliadas, respectivamente, pelo teste de Mann-Whitney e pelo exato de Fisher (p<0,05). Foram calculados os parâmetros de acurácia dos sinais e sintomas. Resultados: Artigo 1: De 159887 notificações, 151527 eram residentes do município do Rio de Janeiro, 38.808 preencheram os critérios de inclusão. Destes, 8897 (22,9%) tiveram complicações e 1051 (2,7%) FHD; 16.436 (42,4%) eram < 18 anos e 15.288 (39,4%) foram confirmados laboratorialmente. A letalidade foi maior em lactentes (1,4%) e nos casos de FHD (7,7%). Extravasamento plasmático foi mais comum de 2 a 11 anos. Houve autocorrelação espacial global quanto à mortalidade e letalidade e autocorrelação local para os três índices (p<0,05). Artigo 2: De 145 pacientes, 53,1% eram do sexo feminino, com mediana de idade de 8,7 anos (IIQ=7,2-11,5); 15,9% evoluíram para gravidade A duração da febre em dias foi menor no grupo grave (G: Mediana Md=3,0, IIQ= 2,0\20134,5; NG: Md=4,0, IIQ=3,0\20135,0; p=0.062). Letargia, irritabilidade, sangramento, dispneia, ausculta pulmonar alterada, derrame pleural, distensão abdominal e edema foram associados à evolução para gravidade (p<0,05). Níveis de hematócrito (p=008) e de albumina sérica (p<0,001) foram menores nos graves. Letargia apresentou Valor Preditivo Negativo (VPN) > 90%, com Valor Preditivo Positivo (VPP) de 80%. As demais variáveis com p-valor <0,05 apresentaram VPN próximo ou > 90%, com baixo VPP. Conclusão: Apesar da incidência de FHD ter sido maior entre escolares, os lactentes tiveram maior letalidade. Extravasamento plasmático foi mais frequente em escolares e pré-escolares. Sangramento, sonolência e irritabilidade na admissão hospitalar associaram-se à gravidade e o derrame cavitário obteve maior acurácia do que a hemoconcentração como sinal de extravasamento plasmático
Abstract: In 2007-2008, the Rio de Janeiro experienced a dengue epidemic with 80,404 notifications, with 109 deaths, 42% <15 years. Objectives: 1. To describe the spatial distribution and the clinical epidemiology of dengue epidemic by age group in the city of Rio de Janeiro. 2. To evaluate the predictive clinical and laboratory factors of severe dengue in a cohort of hospitalized children. Methods: This thesis has been formatted in two articles: 1) Spatial distribution and clinical and epidemiological characterization of dengue in the city of Rio de Janeiro; 2) clinical and laboratory signs associated with severe dengue in hospitalized children. Article 1: ecological study based in the Information System for Notifiable the city of Rio de Janeiro (2007-2008). We included all cases of dengue confirmed by clinical and laboratory testing of the residents of the city of Rio de Janeiro. Sociodemographic and clinical variables were described (case classification, hospitalization and evolution) according to age. We used the case of classification criteria of the Ministry of Health 2005 (dengue fever, dengue with complications and dengue hemorrhagic fever - DHF). Spatial autocorrelation of incidence, mortality and mortality was recorded by the indices of Moran and Geary. Article 2: Retrospective cohort of hospitalizations for dengue (18 years) in a unit of reference (2007-2008). Severe dengue was defined by the use of advanced support therapy of life or death. Median differences and ratios were evaluated, respectively, by the Mann-Whitney test and Fisher's exact test (P <0.05). The parameters of accuracy of the signs and symptoms were calculated. Results: Article 1: In 159 887 notifications were 151,527 residents of the city of Rio de Janeiro, 38 808 met the inclusion criteria. Of these, 8897 (22.9%) had complications and 1051 (2.7%) DHF; 16,436 (42.4%) were <18 years and 15,288 (39.4%) were laboratory confirmed. Mortality increased in infants (1.4%) and in cases of DHF (7.7%). Plasma leakage was more common 2-11 years. There was global spatial autocorrelation in mortality and mortality and local autocorrelation for the three indices (p <0.05). Article 2: In 145 patients, 53.1% were female, with a median age of 8.7 years (IQR = 7.2 to 11.5); 15.9% progressed to gravity. The duration of fever in days was lower in the severe group (G: Median Md = 3.0, IQR = 2.0 to 4.5; NG: Md = 4.0, IQR = 3.0-5.0; p = 0.062). Lethargy, irritability, bleeding, dyspnea, abnormal pulmonary auscultation, pleural effusion, bloating and swelling were associated with progression to severity (p <0.05). Hematocrit (p = .008) and serum albumin (p <0.001) were lower in severe. Lethargy presented Negative Predictive Value (NPV)> 90%,with Positive Predictive Value (PPV) of 80%. The other variables with p-value <0.05 showed VPN near or> 90% with low PPV. Conclusion: Although the incidence of DHF was longer in school, infants had higher mortality. Plasma leakage was more frequent in children and preschoolers. Bleeding, drowsiness and irritability at admission were associated with stroke severity and the cavity achieved greater accuracy than hemoconcentration as plasma leakage signal.
DeCS: Letalidade
Dengue Grave
Criança
Sensibilidade e Especificidade
Incidência
Issue Date: 2015
Citation: PONE. S. M. Caracterização clínico-epidemiológica do dengue grave em crianças e adolescentes Rio de Janeiro, 2007-2008. 2015. 105f. Tese (Doutorado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas) - Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, RJ, 2015
Date of defense: 2015-Fev-09
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas
Program: Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - PCDI - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
sheila_pone_ini_dout_2015.pdf2.21 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.