Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/16168
Title: Do sintoma ao diagnóstico: vivências de adolescentes com câncer
Authors: Rezende, Adryene Milanez
Schall, Virgínia Torres
Modena, Celina Maria
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil
Abstract: As implicações causadas pelo diagnóstico na vida de um adolescente são complexas. Seu mundo é desestruturado, fragilizado, e ele necessita de uma nova organização de seus pensamentos, atitudes e rotina. O adoecimento crônico de adolescentes possui um caráter peculiar devido ao período transitório que se encontram no desenvolvimento humano, marcado por dúvidas e questionamentos. Este artigo tem por objetivo descrever a vivência inicial do câncer na perspectiva da pesquisa qualitativa. Material e Métodos - A pesquisa foi desenvolvida em Casa de Apoio que atende crianças e adolescentes em tratamento oncológico. Participaram do estudo seis pacientes de 12 a 16 anos, sendo três de cada gênero. Foram realizadas entrevistas abertas individuais com questões norteadoras sobre a doença e o tratamento. As entrevistas foram categorizadas segundo Análise de Conteúdo (BARDIN, 1979). Resultado e discussões - A análise das narrativas aponta as seguintes categorias temáticas: surgimento da doença, conhecimento do diagnóstico, comunicação do diagnóstico e sentimento após comunicação. As verbalizações sobre a trajetória inicial do câncer foram descritas em detalhes e demonstraram ser um período marcante e complexo tanto para o paciente quanto para a família. Os sujeitos relataram ausência de informações dos profissionais sobre o diagnóstico, e alguns após conhecimento negaram a doença. Conclusões - A adolescência é um período em que se é “jovem demais para certas coisas e velho demais para outras”, e dessa forma, o jovem se sente desajustado. Tal sentimento é intensificado ao perceber que não há espaço físico para sua faixa etária no âmbito hospitalar. Os dados sinalizam a necessidade dos profissionais de desenvolverem além das habilidades técno-instrumentais, as capacidades relacionais, permitindo um adequado vínculo e efetiva comunicação na atenção ao paciente considerando os aspectos inerentes a idade.
keywords: Câncer juvenil
Diagnóstico
Casa de apoio
Humanização
Issue Date: 2011
Citation: REZENDE, A. M.; SCHALL, V. T.; MODENA, C. M. Do sintoma ao diagnóstico: vivências de adolescentes com câncer. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA HOSPITALAR, 8., 2011, Curitiba. Resumos Eletrônicos... Curitiba: Sociedade Brasileira De Psicologia Hospitalar, 2011, p. 105.
Copyright: open access
Appears in Collections:MG - IRR - Anais de Congresso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ADRYENE_REZENDE_et_al_CPqRR_2011.pdf110.98 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.