Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/19194
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.authorNunes, Cristina F.
dc.contributor.authorFinger, Paula F.
dc.contributor.authorFischer, Geferson
dc.contributor.authorCastro, Clarissa C.
dc.contributor.authorHübner, Silvia O.
dc.contributor.authorPaulino, Niraldo
dc.contributor.authorMarcucci, Maria Cristina
dc.contributor.authorVieira, Oseraldo
dc.contributor.authorMartes, Pedro E.
dc.contributor.authorVargas, Gilberto D.
dc.date.accessioned2017-06-01T19:14:43Z
dc.date.available2017-06-01T19:14:43Z
dc.date.issued2013
dc.identifier.citationNUNES, Cristina F. et al. Padronização de uma Amostra de Extrato Etanólico de Própolis Verde. Revista Fitos, [S.l.], v. 7, n. 01, out. 2013.
dc.identifier.issn2446-4903
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/19194
dc.description.abstractA própolis, uma substância resinosa produzida pelas abelhas melíferas a partir de exsudatos coletados em diferentes partes das plantas, tem sido utilizada há séculos na medicina popular devido as suas propriedades terapêuticas. Este trabalho descreve a padronização de um extrato etanólico de própolis verde, onde foram identificados os compostos químicos por CLAE (Cromatografia líquida de alta eficiência), caracterização fitoquímica por cromatografia em camada delgada (CCD), teor de sólidos solúveis, teor de fenóis e flavonóides totais e atividade antioxidante por 2,2-difenil- 1-picrilhidrazil (DPPH). Este extrato etanólico de própolis verde (EEPV) analisado posteriormente será estudado como agente virucida. Os resultados encontrados evidenciam que este EEPV está dentro dos padrões requisitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, apresentando 9,35% de teor de sólidos solúveis, atividade antioxidante com CE50% de 9,80 μg/mL, duas classes fitoquímicas, polifenóis e flavonóides, identificadas pela CCD, altos níveis de fenóis e flavonóides totais (12.93 e 6,05% respectivamente), comprovados por CLAE, o qual identificou altas concentrações de ácidos fenólicos (ácido p-cumárico, ácido diprenil-hidroxicinâmico, derivados do ácido cinâmico), os quais são atribuídos as propriedades antibacteriana, antioxidante, antiviral e virucida.
dc.language.isopor
dc.publisherFundação Oswaldo Cruz. Farmanguinhos. Núcleo de Gestão em Biodiversidade e Saúde.
dc.rightsopen access
dc.subject.otherCLAE
dc.subject.otherCaracterização Fitoquímica
dc.subject.otherSólidos Solúveis
dc.subject.otherFenóis Totais
dc.subject.otherFlavonóides Totais
dc.titlePadronização de uma Amostra de Extrato Etanólico de Própolis Verde
dc.typeArticle
dc.description.abstractenPropolis, a resinous substance produced by honeybees from exudates collected from different plant parts have been used for centuries in folk medicine due to its therapeutic properties. This work describes the standardization of an ethanol extract of green propolis, where the chemicals were identified by HPLC (high performance liquid chromatography), phytochemical characterization by thin layer chromatography (TLC), soluble solids, phenols and flavonoids and total antioxidant activity 2,2-diphenil-1-picrylhydrazyl (DPPH). The ethanol extract of green propolis (EEPV) will be discussed later studied as a virucidal agent. The results show that this EEPV is within the standards required by the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply, with 9.35% of total soluble solids, antioxidant activity with EC50% of 9.80 mg/mL, two classes phytochemicals, polyphenols and flavonoids, identified by TLC, high levels of phenolics and flavonoids (12.93 and 6.05% respectively) as shown by HPLC, which identified high concentrations of phenolic acids (p-coumaric acid, hydroxycinnamic acid diprenyl, acid derivatives cinamics), which are assigned the antibacterial, antioxidant, antiviral and virucidal.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Bandeirante de São Paulo. Programa de Mestrado Profissional em Farmácia. Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento de Biomedicamentos. São Paulo, SP, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Bandeirante de São Paulo. Laboratório de Produtos Naturais. Programa de Mestrado Profissional em Farmácia. São Paulo, SP, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Bandeirante de São Paulo. Laboratório de Produtos Naturais. Programa de Mestrado Profissional em Farmácia. São Paulo, SP, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Bandeirante de São Paulo. Laboratório de Produtos Naturais. Programa de Mestrado Profissional em Farmácia. São Paulo, SP, Brasil.
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Pelotas. Faculdade de Veterinária. Laboratório de Virologia e Imunologia. Pelotas, RS, Brasil.
dc.subject.enHPLC
dc.subject.enPhytochemical Characterization
dc.subject.enSoluble Solids
dc.subject.enTotal Phenols
dc.subject.enTotal Flavonoids
Appears in Collections:Farmanguinhos - Revista Fitos - Volume 7 - Número 1

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
6.pdf153.69 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.