Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/31258
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.advisorLuz, Sérgio Luiz Bessa
dc.contributor.authorSuwa, Uziel Ferreira
dc.date.accessioned2019-01-23T15:02:14Z
dc.date.available2019-01-23T15:02:14Z
dc.date.issued2017
dc.identifier.citationSUWA, Uziel Ferreira. Investigação diagnóstica de pacientes com Mansonelose submetidos ao tratamento com Ivermectina no município de São Gabriel da Cachoeira, Amazonas. 2017. 72f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Instituto Leônidas e Maria Deane, Fundação Oswaldo Cruz, Manaus, 2017.
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/31258
dc.description.abstractMansonelose é uma Doença Tropical Negligenciada (DTN) que possui ampla distribuição geográfica na Amazônia, acometendo populações indígenas e ribeirinhas. Apesar de ter sido descrita há muitos anos, os padrões clínicos patológicos desta doença continuam sem comprovações científicas, e, por isso, tem sido negligenciada e considerada uma filariose assintomática com pouco interesse e incentivo à pesquisa, com carência de informações epidemiológicas, clinico patológicas e de tratamento. Em relação a isso, este projeto, na perspectiva de contribuir para o estudo desta endemia regional, teve por objetivo investigar os pacientes tratados com Ivermectina no município de São Gabriel da Cachoeira, em amostras coletadas após 3 meses do tratamento. Foram analisadas por testes tradicionais (gota espessa de sangue) e testes mais sensíveis (moleculares - PCR), 34 amostras de sangue. Deste quantitativo, 8 (23,5%) amostras foram confirmadas nas lâminas de gota espessa e 18 (52,9%) amostras permaneceram positivas em testes moleculares utilizando primers para a amplificação de sequências de DNA específicas para mansonelas. Desta forma, o diagnóstico molecular mostra-se mais sensível que o diagnóstico microscópico, com um aumento de (2,3%) antes do tratamento, e (2,1%) depois o tratamento. A sintomatologia declarada pelos pacientes positivos como febre, dor no corpo, dor nas articulações, dor de cabeça, frieza nas pernas, tontura e dormência nas pernas apresentaram redução após tratamento. As análises moleculares também incluíram a busca da identificação de alvos de resistência do parasito ao medicamento, tendo em vista que 18 amostras permaneceram positivas. O tratamento utilizado para eliminação de microfilaremia com uma dose de 0,15mg/kg de ivermectina, não demonstrou eficácia nos pacientes tratados no município de São Gabriel da Cachoeira, com possibilidade de reinfecção e resistência dos parasitas ao medicamento. Contudo, o diagnóstico microscópico apresenta baixa sensibilidade, principalmente em indivíduos com baixa parasitemia. Já o diagnóstico molecular tem se mostrado mais sensível, podendo ser útil em áreas de transmissão para certificação das espécies circulantes, tendo em vista que o tratamento aplicado é diferenciado para cada espécie de mansonela. A sintomatologia declarada pelos pacientes neste estudo foi semelhante à de outros estudos, e o tratamento com ivermectina reduziu a frequência desses sintomas. Não foi identificada resistência das mansonelas ao medicamento por meio dos 12primers testados para β-tubulina, apesar disso, podem existir outros genes que estejam proporcionando a resistência e que não sejam os mesmos testados nesse estudo e que encontrem-se vinculados (ou não) especificamente para mansonelas.
dc.language.isopor
dc.rightsopen access
dc.subject.otherFilárias
dc.subject.otherMansonella
dc.subject.otherIvermectina
dc.titleInvestigação diagnóstica de pacientes com Mansonelose submetidos ao tratamento com Ivermectina no município de São Gabriel da Cachoeira, Amazonas
dc.typeDissertation
dc.degree.date2017-08-25
dc.degree.grantorFundação Oswaldo Cruz. Instituto Leônidas e Maria Deane
dc.degree.levelMestrado Acadêmico
dc.degree.localManaus, AM
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia
dc.contributor.advisorcoCrainey, James Lee
dc.description.abstractenMansonellosis is a Neglected Tropical Disease (NTD) that has a wide geographic distribution in the Amazon, affecting indigenous and riverside populations. Although it was described many years ago, the pathological clinical patterns of this disease still lack scientific evidence. It has been put aside and considered an asymptomatic filariasis which is of little interest and encouragement to be investigated thoroughly. Epidemological and pathological clinical information as well as treatment are scarce and difficult to access. Thus, this project aims to contribute to the study of this regional endemic, analysing the the blood samples collected from patients after a three- month treatment period with ivermectin in São Gabriel da Cachoeira. 34 blood samples were tested using traditional tests (thick blood drop) and more sensitive ones (molecular – PCR). Considering this quantitative, 8 (23.5 %) samples were confirmed on thick slides and 18 (52,9%) samples remained positive in molecular tests using primers for the amplification of DNA sequences specific for mansonelas. As a result, the molecular diagnosis is far more sensitive than the microscopic one, which represents an increase of 2.3% before the treatment, and 2.1% after it. The symptoms, such as fever, headache, body pain, joint pain, cold legs, dizziness and numbness in the legs reported by patients tested positive, reduced after the treatment. Molecular analyses also included the search for the identification of resistance targets of the parasite to the drug, considering that 18 samples still remained positive. However, the microscopic diagnosis presents low sensitivity, especially with coma parasitemia. Already the molecular diagnosis has appeared more sensitive, and may be useful in areas of transmission for the test of circulating species, considering that the applied treatment is differentiated for each species of mansonella. The symptomatology reported by the patients in this study was published in other studies, and treatment with ivermectin reduced the frequency of symptoms. No drug resistance was identified by the 12 primers tested for β-tubulin; however, there are other resistance genes that are providing resistance that are not the same as those tested in this study and that are bound (or not) specifically for mansonelas.
dc.creator.affilliationFundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisas Leônidas e Maria Deane. Manaus, AM, Brasil.
dc.subject.enFilarias
dc.subject.enMansonella
dc.subject.enIvermectin
dc.contributor.memberPessoa, Felipe Arley Costa
dc.contributor.memberLalwani, Pritesh Jaychand
Appears in Collections:AM - ILMD - PPGVIDA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Uziel Suwa.pdf1.14 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.