Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/41979
Título: Imunoglobulina na fase crônica da Doença de Chagas
Autor(es): Freitas, Gilberto de
Costa, Stlvio Celso Gonçalves da
Pereira, Neize de Moura
Quintão, Liege Galvão
Souza, José Gomes
Afiliação: Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Seção de Protozoologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Conselho Nacional de Pesquisas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Conselho Nacional de Pesquisas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Conselho Nacional de Pesquisas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Hospital Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Resumo: De um grupo de 112 casos crônicos de Doença de Chagas recebidos, foi possível selecionar 32 casos dotados de dados clínicos e testes de diagnóstico completos que permitiram uma avaliação da resposta imunitária humoral em face de quadros clínicos e cardiológicos bem definidos. Observou-se um ligeiro aumento dos níveis de IgG, sem que houvesse significância destes resultados quando feita a comparação com um grupo de habitantes da região de Bambuí, cujos testes, empregados normalmente para diagnóstico da Doença de Chagas, foram negativos. Este grupo, que foi considerado como o "normal" da região, não apresentava nenhuma sintomatologia e, tanto quanto foi possível observar, gozava bom estado de saúde. Os níveis de IgM e IgA apresentavam-se dentro da faixa de normalidade, enquanto os títulos de anticorpos heterófilos, ficaram entre 1/56 e 1/112. Na Correlação que se tentou estabelecer entre anticorpos heterófilos e cardiopatias chagásicas constatou-se não existir, aparentemente, relação entre concentração e cardiopatia.
Resumo em inglês: Since dibergent results were obtained by different authors about immunoglobulins concentration in sera from acute and chronic cases of Chagas disease, the problem was submited to statistical approach in field conditions in the endemic zone of Bambui, state of Minas Gerais, Brazil. Positives cases were considered in all individuals presenting evidences in parasitological, immunological or electrocardiographical examination living exactly in the same conditions, but without any evidence of infection under the same criteria. The sample consisted of 32 chronic cases and no significant difference in the immunoglobulins levels were detected in chronic cases of Chagas disease as compared with the control group. Heterophili antibodies are being determined in chronic cases and apparently there is no relationship between its concentration and pathogenic effects.
Palavras-chave em inglês: Chagas Disease
Immunoglobulin
Acute and chronic cases
Palavras-chave: Imunoglobulinas
Fase crônica
Doença de Chagas
Data do documento: 1976
Editor: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz.
Referência: FREITAS, Gilberto de et al. Imunoglobulinas na fase crônica da Doença de Chagas. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 74, n. 2, p. 183-190, 1976.
DOI: 10.1590/S0074-02761976000200005
ISSN: 0074-0276
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:IOC - Artigos de Periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LiegeGalvão_Quintao_etal_IOC_1976.pdf498.23 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.