Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4568
Title: A municipalizaçäo e a experimentaçäo de modelos assistenciais em Londrina: os dilemas e as descontinuidades do processo
Other Titles: The municipalization and the experimentation of assistencial models in Londrina: the dilemmas and the discontinuity of the process
Advisor: Costa, Nilson do Rosário
Authors: Gutierrez, Paulo Roberto
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: O município de Londrina se caracteriza pela experimentaçao de modelos assistenciais desde a década de 70, com a implantaçao do modelo de Atençao Primária à Saúde. Isto significa, para as duas décadas seguintes, um crescente aumento de atribuiçoes para o gestor municipal, decorrentes da estruturaçao ampla da rede assistencial ambulatorial sob sua responsabilidade. A consolidaçao desse processo de municipalizaçao está inserida no contexto da descentralizaçao política e administrativa do setor e, dentro da reforma do setor saúde no Brasil, tem como expressao operacional a gestao das açoes de saúde necessárias à atençao à saúde de suas populaçoes, eselecidas através de Normas Operacionais. Assim, o processo de municipalizaçao via Sistema Unico de Saúde-SUS, propicia aos gestores municipais uma maior autonomia para gestao administrativa e financeira, entre outras. Contudo, a crescente responsabilizaçao para a prestaçao de serviços situa o município num outro patamar de, poderíamos dizer, incertezas. Essas podem fazer com que alguns municípios adotem uma postura de "acomodaçao" promovendo uma gestao que se molde ou se aproxime das formas atuais, promovendo uma administraçao dos recursos técnicos e financeiros, sem maiores traumas. Outros poderao optar por ser proativos no processo, como é o caso de Londrina. A experiência mais recente na perspectiva de mudança de modelo exigiu por parte dos governantes imbuídos desta proposta inúmeros esforços, que caminharam no sentido da assimilaçao das novas atribuiçoes agora sob responsabilidade do município. Esses esforços redundaram em êxito, sendo Londrina um dos primeiros municípios, a assumir a gestao semi-plena dos serviços, ditada pela Norma Operacional Básica-1993 (NOB-93), e se concretizaram, na prática, com desdobramentos relevantes para seu estudo.
keywords: Descentralização
SUS (BR)
Reforma dos serviços de saúde
Issue Date: 1999
Citation: Rio de Janeiro s.n 1999 171p
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
53.pdf3.97 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.