Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4863
Title: Mortalidade e sobrevida por câncer de mama, no Estado do Pará
Other Titles: Mortality and supervened by breast neoplasms, in the State of Pará
Advisor: Koifman, Sérgio
Koifman, Rosalina Jorge
Authors: Pereira, Waltair Maria Martins
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: A análise das tendências de mortalidade por câncer de mama no estado do Pará revela um padräo de flutuaçäo, com as maiores taxas ocorrendo na capital (11,83/100000 em 1980-82 e 12,53/100 000 em 1992-94). Houve crescimento anual das taxas padronizadas de mortalidade tanto na capital como no interior do Estado, sendo que neste último mais elevada, (crescimento de 1,00 por cento e 3,99 por cento, respectivamente). Na capital, as taxas de mortalidade foram aumentando evolutivamente à medida que aumentou a faixa etária, assim é que para o período de 1995-97 as maiores taxas foram observadas para as mulheres acima de 60 anos de idade (58,23/100000 mulheres), representando quase o dobro da faixa etária de 50 a 59 anos com registro de taxa de 27,59 por 100 000 mulheres. As maiores taxas ocorreram na mesorregiäo metropolitana, com variaçäo de 8,03 a 11,53/100 000 quando comparado o período inicial e final da série. A análise da sobrevida geral, de cinco anos em uma coorte hospitalar de câncer de mama, em Belém estado do Pará, foi de 61 por cento, com a maior sobrevida (69,5 por cento) tendo sido observada para as mulheres com 40 a 49 anos. O baixo nível de escolaridade registrado em 40,3 por cento dos casos näo esteve associado à taxa de sobrevida. A maioria dos casos realizou exame histopatológico do tumor primário (97,3 por cento). Em 44,3 por cento das mulheres, o estadiamento tumoral näo estava registrado nos prontuários. Para os casos sem comprometimento ganglionar a sobrevida foi de 80 por cento com p=0,002. Segundo o tipo histológico, a menor sobrevida foi observada para os casos de adenocarcinoma esquirroso, 29 por cento (p=0,001). O fato de ter sido ou näo tratada proporcionou 63 por cento de sobrevida para o grupo de mulheres tratadas contra 45 por cento do grupo que näo recebeu nenhuma forma de tratamento, näo estando entretanto, o tipo de tratamento associado à sobrevida porém o esquema que conjuga a cirurgia e a quimioterapia adjuvante proporcionou a maior sobrevida, (72 por cento).
keywords: Neoplasias mamárias
Análise de sobrevivência
Coeficiente de mortalidade
Issue Date: 2001
Citation: Rio de Janeiro s.n 2001 90p
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
264.pdf1.52 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.