Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/5361
Title: AIDS, saúde reprodutiva e prevenção: estudo de caso sobre práticas educativas em uma ONG (Rio de Janeiro / Brasil)
Other Titles: AIDS, reproductive health and prevention: case study of the educative practice in a ONG (Rio De Janeiro/Brazil)
Advisor: Monteiro, Simone Souza
Santos, Elizabeth Moreira dos
Authors: Moraes, Danielle Ribeiro de
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Este trabalho teve por objetivo caracterizar as práticas educativas do Grupo Cultural Afroreggae (GCAR) e identificar a sua proposta pedagógica em saúde sexual e reprodutiva. O GCAR é uma organização não-governamental localizada em Vigário Geral, na periferia do município do Rio de Janeiro. A partir da análise da produção documental da instituição, de observações do cotidiano da ONG, de entrevistas semi-estruturadas com os educadores e da observação direta das práticas educativas, foram reconhecidas duas fases na história das práticas de educação em saúde da organização. A primeira aproximou-se de uma proposta pedagógica com estímulo à participação popular. Houve valorização do desejo e das percepções de educadores e educandos no planejamento do programa de saúde da ONG, visando sua inserção em espaços públicos de representação. Na segunda e presente fase, identifica-se a manutenção do vínculo de referência na relação educador-educando e da autonomia na escolha e tratamento das temáticas, revelando a potencialidade para o desenvolvimento de ações mais integralizadoras para a prevenção do HIV/Aids. Todavia, verifica-se mudanças no desenho organizacional, caracterizadas pela ênfase nas alternativas de inclusão dos jovens no mundo da produção e o distanciamento da busca pela representatividade na formulação das políticas de saúde. Em seu lugar, é tecida uma rede de apoio entre serviços e projetos locais que se mantém periférica a esses espaços. A priorização da inserção profissional dos jovens, associada à desvalorização da participação popular, impõe limites à transformação social, principalmente em um contexto de invisibilidade das ações públicas. Tendo em vista a relação entre o aumento da vulnerabilidade ao HIV/Aids e as situações de exclusão social, conclui-se que as ações voltadas para a prevenção do HIV/Aids são mais efetivas quando incluídas em uma proposta de promoção da saúde sexual e reprodutiva que tenha como horizonte a transformação social. Tal perspectiva também deve contemplar o significado das experiências sexuais e as desigualdades de gênero nas relações entre educadores e jovens.
keywords: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Medicina Reprodutiva
Educação em Saúde
Organizações não Governamentais
Issue Date: 2004
Citation: Rio de Janeiro s.n 2004 126p x
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
797.pdf1.16 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.