Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/9559
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.advisorNogueira, Ana Cristina Martins de Almeida
dc.contributor.advisorMoura, Wlamir Correa de
dc.contributor.authorOliveira, Edson Roberto Alves de
dc.date.accessioned2015-02-27T17:39:01Z
dc.date.available2015-02-27T17:39:01Z
dc.date.issued2010
dc.identifier.citationOLIVEIRA, E. R. A. Estudo da atividade biológica do interferon alfa-2b em linhagem de células hep-2C para aplicação em ensaios de determinação de potência. 2010. 82 f. Dissertação (Mestrado em Vigilância Sanitária)- Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2010.
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/9559
dc.description.abstractA família dos interferons (IFNs) compreende um grupo de citocinas secretadas por todas as células nucleadas presentes em mamíferos, conhecidas pelas suas atividades antivirais, antiproliferativas e imunomoduladoras. Com o advento da tecnologia de DNA recombinante, tornou-se possível a produção e o isolamento de grandes quantidades de IFNs, os quais vêm sendo utilizados clinicamente no tratamento de diversas enfermidades, como a hepatite C. Ao mesmo tempo, tem ocorrido uma crescente demanda no controle da qualidade destes biofármacos. Neste trabalho, estudamos a atividade biológica do IFN alfa-2b em linhagem de células Hep-2C para aplicação em ensaios de potência. Foi padronizado um ensaio antiviral para determinação de potência do IFN alfa-2b utilizando a combinação Hep-2C/vírus Mengo, no entanto vimos que a atividade antiproliferativa causada pelo IFN alfa-2b em células Hep-2C impacta negativamente na análise final dos dados. Ao considerar a via de transdução intracelular estimulada pelos IFNs, vimos mediante citometria de fluxo, que em células Hep-2C existe dose-dependência entre a ocorrência de intermediários fosforilados (pSTAT1) e a dose de IFN alfa-2b (entre 35,25 e 1000 UI/ml) empregada na estimulação destas células. Em seu conjunto, mostramos nesta tese que o ensaio de redução do efeito citopático viral para determinação da potência do IFN alfa-2b utilizando a combinação Hep-2C/vírus Mengo é informativo, porém vários aspectos devem ser considerados para minimizar prejuízos na análise final de dados. Ainda, sugerimos que a aplicação da citometria de fluxo na determinação de intermediários fosforilados em células Hep-2C seja bastante promissor no desenvolvimento de novos ensaios biológicos para a determinação de potência relativa do IFN alfa-2b.
dc.language.isopor
dc.rightsopen access
dc.titleEstudo da atividade biológica do interferon alfa-2b em linhagem de células hep-2C para aplicação em ensaios de determinação de potência
dc.title.alternativeStudy of biological activity of IFN alpha-2b in Hep-2C cell line for application in potency determination assays
dc.typeDissertation
dc.degree.date2010-05-11
dc.degree.departmentCoordenação de Pós-Graduação
dc.degree.grantorFundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde
dc.degree.localRio de Janeiro/RJ
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária
dc.description.abstractenA família dos interferons (IFNs) compreende um grupo de citocinas secretadas por todas as células nucleadas presentes em mamíferos, conhecidas pelas suas atividades antivirais, antiproliferativas e imunomoduladoras. Com o advento da tecnologia de DNA recombinante, tornou-se possível a produção e o isolamento de grandes quantidades de IFNs, os quais vêm sendo utilizados clinicamente no tratamento de diversas enfermidades, como a hepatite C. Ao mesmo tempo, tem ocorrido uma crescente demanda no controle da qualidade destes biofármacos. Neste trabalho, estudamos a atividade biológica do IFN alfa-2b em linhagem de células Hep-2C para aplicação em ensaios de potência. Foi padronizado um ensaio antiviral para determinação de potência do IFN alfa-2b utilizando a combinação Hep-2C/vírus Mengo, no entanto vimos que a atividade antiproliferativa causada pelo IFN alfa-2b em células Hep-2C impacta negativamente na análise final dos dados. Ao considerar a via de transdução intracelular estimulada pelos IFNs, vimos mediante citometria de fluxo, que em células Hep-2C existe dose-dependência entre a ocorrência de intermediários fosforilados (pSTAT1) e a dose de IFN alfa-2b (entre 35,25 e 1000 UI/ml) empregada na estimulação destas células. Em seu conjunto, mostramos nesta tese que o ensaio de redução do efeito citopático viral para determinação da potência do IFN alfa-2b utilizando a combinação Hep-2C/vírus Mengo é informativo, porém vários aspectos devem ser considerados para minimizar prejuízos na análise final de dados. Ainda, sugerimos que a aplicação da citometria de fluxo na determinação de intermediários fosforilados em células Hep-2C seja bastante promissor no desenvolvimento de novos ensaios biológicos para a determinação de potência relativa do IFN alfa-2b.
dc.creator.affilliationFundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde
dc.contributor.memberMeis, Juliana de
dc.contributor.memberLyra, Jurandy Susana Patricia Ocampo
dc.contributor.memberAmendoeira, Fábio Coelho
dc.contributor.memberNogueira, Ana Cristina Martins de Almeida
dc.contributor.memberMoura, Wlamir Correa de
dc.subject.decsInterferons
dc.subject.decsBioensaios
dc.subject.decsLinhagem Celular Tumoral
dc.subject.decsMengovirus
dc.subject.decsVigilância Sanitária
Appears in Collections:INCQS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
55.pdf1.13 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.