Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/14875
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.authorVieira, Gabriel de Deus
dc.contributor.authorTerassini, Flávio Aparecido
dc.contributor.authorAlves, Thaianne da Cunha
dc.contributor.authorPaniágua, Nilson Cardoso
dc.contributor.authorSilva, Olívia Bezerra da
dc.contributor.authorTeles, Carolina Bioni Garcia
dc.date.accessioned2016-07-14T15:36:57Z
dc.date.accessioned2016-07-15T18:40:36Z
dc.date.available2016-07-14T15:36:57Z
dc.date.available2016-07-15T18:40:36Z
dc.date.issued2013
dc.identifier.citationTELES, Carolina B. G. et al. Bactérias Gram positivas veiculadas por formigas em ambiente hospitalar de Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 4, p. 33-36, 2013.
dc.identifier.issn2176-6223
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/14875
dc.description.abstractAs formigas são consideradas insetos vetores de várias espécies de patógenos e apresentam grande adaptabilidade a diversos tipos de ambientes. Por essa razão podem oferecer risco a pacientes imunodeprimidos, em ambiente hospitalar. O objetivo deste estudo foi verificar o perfil das bactérias Gram positivas veiculadas por formicídeos em ambiente hospitalar. Os insetos foram coletados na sala de emergência, no setor de pneumologia e no de gastroenterologia em um hospital público de Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil, no período de março a junho de 2012. As bactérias isoladas foram caracterizadas quanto à coloração de Gram, aos testes para identificação de bactérias do gênero Staphylococcus, Streptococcus e Micrococcus e quanto ao perfil de suscetibilidade a antimicrobianos. Entre as 130 formigas capturadas, 62% das cepas extraídas das formigas foram identificadas como pertencentes ao gênero Staphylococcus, 25% Streptococcus e 13% Micrococcus. Em relação à resistência aos antibióticos, 83% das cepas foram resistentes à oxacilina e 50% à vancomicina. Conclui-se que as formigas apresentaram grande potencial como veiculadoras mecânicas de bactérias, sugerindo o risco de infecção nosocomial e a permanência de cepas com alta resistência no ambiente hospitalar.
dc.language.isopor
dc.publisherRevista Pan-Amazônica de Saúde
dc.rightsopen access
dc.subject.otherVetores de Doenças
dc.subject.otherInfecção Hospitalar
dc.subject.otherTestes de Sensibilidade Microbiana
dc.titleBactérias Gram positivas veiculadas por formigas em ambiente hospitalar de Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil
dc.title.alternativeGram-positive bacteria carried by ants in hospital environment in the City of Porto Velho, Rondônia State, Brazil
dc.title.alternativeBacterias Gram-positivas vehiculadas por hormigas en ambiente hospitalario en la Ciudad de Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil
dc.typeArticle
dc.identifier.doi10.5123/S2176-62232013000300005
dc.creator.affilliationFaculdade São Lucas. Departamento de Microbiologia. Porto Velho, RO, Brasil.
dc.creator.affilliationFaculdade São Lucas. Departamento de Microbiologia. Porto Velho, RO, Brasil.
dc.creator.affilliationFaculdade São Lucas. Departamento de Microbiologia. Porto Velho, RO, Brasil.
dc.creator.affilliationFaculdade São Lucas. Departamento de Microbiologia. Porto Velho, RO, Brasil.
dc.creator.affilliationFaculdade São Lucas. Departamento de Microbiologia. Porto Velho, RO, Brasil.
dc.creator.affilliationFundação Oswaldo Cruz Rondônia. Porto Velho, RO, Brasil.
Appears in Collections:RO - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Bacterias Gram positivas.pdf238.73 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.