Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/32224
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.advisorGurgel, Idê Gomes Dantas
dc.contributor.authorAlbuquerque, Pedro Costa Cavalcanti de
dc.date.accessioned2019-03-25T13:41:19Z
dc.date.available2019-03-25T13:41:19Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.citationALBUQUERQUE, Pedro Costa Cavalcanti de. Processo produtivo e saúde em assentamentos rurais da Zona da Mata pernambucana. 2016. 125f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Saúde Pública) Instituto Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2016.
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/32224
dc.description.abstractA vida e trabalho em assentamentos de reforma agrária suscitam questões importantes para determinação social da saúde como: conflitos agrários, reestruturação produtiva, modernização conservadora, revolução verde, agroecologia e redes sociais. O presente trabalho realizou estudo de caso em dois assentamentos de reforma agrária, buscando analisar a determinação social da saúde a partir do processo de reforma agrária promovido pelo Estado, trabalho e redes sociais. Foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas, além de grupos focais fundamentados nas ferramentas de diálogo do diagnóstico rural participativo. Para análise e processamento dos dados utilizou-se a condensação de significados. Em um dos assentamentos, as tecnologias da modernização conservadora da agricultura foram implantadas por meio da atuação do Estado, com repercussões negativas para saúde das famílias. No segundo caso houve adoção dos princípios da agroecologia devido aos laços das famílias com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e grupo de pesquisadores/as, o que promoveu proteção da saúde das famílias. A reforma agrária, nos dois casos estudados, teve papel importante para promover saúde e garantir uma reprodução social mínima das famílias. Porém, manteve a subordinação do trabalho campesino ao capital. A saúde e emancipação humana plena só serão alcançadas com a superação do modo de produção capitalista.
dc.language.isopor
dc.rightsrestricted access
dc.subject.otherDeterminantes Sociais da Saúde
dc.subject.otherSaúde da População Rural
dc.subject.otherTrabalhadores Rurais
dc.subject.otherAgricultura Sustentável
dc.titleProcesso produtivo e saúde em assentamentos rurais da Zona da Mata pernambucana
dc.title.alternativeProduction process and health in rural settlements of Pernambuco forest zone
dc.typeDissertation
dc.degree.date2016-04-26
dc.degree.departmentDepartamento de Saúde Coletiva
dc.degree.grantorFundação Oswaldo Cruz. Instituto Aggeu Magalhães.
dc.degree.levelMestrado Acadêmico
dc.degree.localRecife/PE
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Pública
dc.description.abstractenLife and work in agrarian reform settlements raise important issues for social determination of health such as land disputes, productive restructuring, conservative modernization, green revolution, agroecology and social networks. This work conducted a case study in two settlements of agrarian reform, analyzing the social determinants of health from the land reform process started by the state, work and social networks. Individual semi-structured interviews were conducted, and focus groups based on dialogue tools of participatory rural appraisal. For analysis and processing of the data was used the condensation of meanings. In one of the settlements, the technologies of conservative modernization of agriculture were implemented through state action, with negative effects on health of families. In the second case there was adoption of the principles of agroecology because of the ties with the Rural Workers Landless Movement and with a group of researchers, which important role in promoting health and ensuring a minimum social reproduction of families. However, maintained the subordination of peasant labor to capital. Health and full human emancipation will only be achieved with the overcoming of the capitalist mode of production.
dc.creator.affilliationFundação Oswaldo Cruz. Instituto Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil.
dc.subject.enSocial Determinants of Health
dc.subject.enRural Health
dc.subject.enRural Workers
dc.subject.enSustainable Agriculture
dc.contributor.memberGurgel, Idê Gomes Dantas
dc.contributor.memberCosta, André Monteiro
dc.contributor.memberSilva, José Nunes da
dc.subject.decsDeterminantes sociais da saúde
dc.subject.decsSaúde da população rural
dc.subject.decsTrabalhadores rurais
dc.subject.decsAgricultura sustentável
dc.subject.decsSaúde do Trabalhador
dc.subject.decsCondições de Trabalho
dc.subject.decsConhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
dc.subject.decsTrabalho
dc.subject.decsCapitalismo
dc.subject.decsModernização do Setor Público
dc.subject.decsZonas Agrícolas/politicas
dc.subject.decsAgricultura Orgânica/organizaçäo & administraçäo
dc.subject.decsAgroquímicos
dc.subject.decsBrasil
Appears in Collections:PE - IAM - PPGSP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016albuquerque-pcc.pdf3.54 MBAdobe PDF    Request a copy



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.