Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34796
Full metadata record
DC FieldValue
dc.contributor.advisorRodovalho, Cynara de Melo
dc.contributor.advisorLima, José Bento Pereira
dc.contributor.authorAnunciação, Sebastião Clebson de Macedo
dc.date.accessioned2019-08-13T19:17:28Z
dc.date.available2019-08-13T19:17:28Z
dc.date.issued2017
dc.identifier.citationANUNCIAÇÃO, Sebastião Clebson de Macedo. Ovitrampa sem acúmulo de água: metodologia segura para coleta de ovos de Aedes?. 2017. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Entomologia Médica)-Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2017.
dc.identifier.urihttps://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34796
dc.description.abstractO presente trabalho destina-se a encontrar uma metodologia segura e eficiente de coleta dos ovos de Aedes aegypti e Aedes albopictus utilizando ovitrampas sem a possibilidade de acumularem água e se tornarem criadouro de mosquito. Além disso, procura comparar a eficiência de paletas de Eucatex e paletas de papelão para atrair fêmeas para oviposição. Segundo estudos, a utilização das ovitrampas como determinantes da distribuição do vetor da dengue e sua presença no domicílio e peridomicílio, tem se demostrado uma ferramenta eficaz para a vigilância entomológica. A pesquisa foi realizada no município de Vassouras, RJ. Foram utilizadas armadilhas do tipo ovitrampa para a coleta dos ovos dos mosquitos, contendo três substratos diferentes no interior: uma ovitrampa tradicional, contendo somente água e atrativo, uma ovitrampa contendo espuma D-45 que denominamos simplesmente esponja, e outra contendo argila floral, ambas com solução atrativa. Cada armadilha continha paletas de Eucatex e de papelão, para determinar a preferência de oviposição das fêmeas de Ae. aegypti e Ae. albopictus. As ovitrampas foram distribuídas em 40 pontos do centro da cidade (uma armadilha de cada tipo em cada ponto) e foram avaliadas por quatro semanas. As paletas foram coletadas no campo e levadas para o Laboratório de Insetos Vetores da Universidade Severino Sombra em Vassouras - RJ, onde aconteceu a secagem, verificação das paletas positivas e contagem dos ovos. Os índices de positividade de ovitrampas (IPO), densidade de ovos (IDO) e média de ovos (IMO) foram calculados. A partir dos dados obtidos foi possível concluir que a ovitrampa tradicional, contendo somente água e atrativo, apresenta maior sensibilidade e superioridade para monitoramento e vigilância de Aedes e que paletas de Eucatex são preferidas pelas fêmeas para deposição de ovos.
dc.language.isopor
dc.rightsopen access
dc.subject.otherAedes
dc.subject.otherMonitoramento
dc.subject.otherManejo de Espécimes
dc.titleOvitrampa sem acúmulo de água: metodologia segura para coleta de ovos de Aedes
dc.typeTCC
dc.degree.date2017
dc.degree.departmentInstituto Oswaldo Cruz
dc.degree.grantorFundação Oswaldo Cruz
dc.degree.localRio de Janeiro
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Entomologia Médica
dc.creator.affilliationFundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Appears in Collections:IOC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
sebastiao_anunciacao_ioc_espec_2017.pdf1.59 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.