Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/10293
Title: Access to and utilization of prenatal care services in the Unified Health System of the city of Rio de Janeiro, Brazil
Other Titles: Acesso e utilização de serviços de pré-natal na rede SUS do município do Rio de Janeiro, Brasil
Authors: Domingues, Rosa Maria Soares Madeira
Leal, Maria do Carmo
Hartz, Zulmira Maria de Araújo
Dias, Marcos Augusto Bastos
Vettore, Marcelo Vianna
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos em Saúde. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Universidade Nova de Lisboa. Instituto de Higiene e Medicina Tropical. Lisboa, Portugal
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Fernandes Figueira. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: A assistência pré-natal é composta por práticas consideradas efetivas para a redução de desfechos perinatais negativos. Entretanto, estudos têm demonstrado iniquidades no acesso das gestantes aos cuidados pré-natais, com piores resultados para mulheres de menor nível socioeconômico. O objetivo deste estudo é avaliar o acesso e a utilização dos serviços de pré-natal na rede SUS do Município do Rio de Janeiro e verificar sua associação a características das gestantes e dos serviços de saúde. Foi realizado um estudo transversal, no período 2007-2008, por meio de entrevista e análise de cartões de pré-natal de 2.353 gestantes em atendimento em serviços de pré-natal de baixo risco do SUS. Foi feita análise descritiva das razões referidas pelas mulheres para início tardio do pré-natal e regressão logística hierarquizada para identificação dos fatores associados à utilização do pré-natal. A ausência de diagnóstico da gravidez e dificuldades de acesso aos serviços foram as razões mais relatadas para o início tardio do pré-natal. Verificou-se acesso mais precoce de gestantes de cor branca, com maior escolaridade, primigestas e com companheiro. O início tardio foi o fator mais associado ao número inadequado de consultas, também verificado em gestantes adolescentes. Mulheres de cor preta apresentaram menor adequação na realização de exames, bem como menor adequação global do pré-natal, segundo parâmetros do Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento (PHPN). Estratégias para identificação de gestantes de maior risco reprodutivo, redução de barreiras organizacionais nos serviços e ampliação do acesso ao planejamento familiar e ao diagnóstico precoce da gravidez são prioritárias.
Abstract: Prenatal care consists of practices considered to be effective for the reduction of adverse perinatal outcomes. However, studies have demonstrated inequities in pregnant women’s access to prenatal care, with worse outcomes among those with lower socioeconomic status. The objective of this study is to evaluate access to and utilization of prenatal services in the Sistema Único de Saúde (SUS – Unified Health System) in the city of Rio de Janeiro and to verify its association with the characteristics of pregnant women and health services. A cross-sectional study was conducted in 2007-2008, using interviews and the analysis of prenatal care cards of 2.353 pregnant women attending low risk prenatal care services of the SUS. A descriptive analysis of the reasons mentioned by women for the late start of prenatal care and hierarchical logistic regression for the identification of the factors associated with prenatal care use were performed. The absence of a diagnosis of pregnancy and poor access to services were the reasons most often reported for the late start of prenatal care. Earlier access was found among white pregnant women, who had a higher level of education, were primiparous and lived with a partner. The late start of prenatal care was the factor most associated with the inadequate number of consultations, also observed in pregnant adolescents. Black women had a lower level of adequacy of tests performed as well as a lower overall adequacy of prenatal care, considering the Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento (PHPN – Prenatal and Delivery Humanization Program) recommendations. Strategies for the identification of pregnant women at a higher reproductive risk, reduction in organizational barriers to services and increase in access to family planning and early diagnosis of pregnancy should be prioritized.
Keywords: Pregnancy
Prenatal Care
Health Services Accessibility
Equity in Access
Program Evaluation
Unified Health System
DeCS: Gravidez
Cuidado Pré-Natal
Acesso aos Serviços de Saúde
Equidade no Acesso
Avaliação de Programas e Projetos de Saúde
Sistema Único de Saúde
Issue Date: 2013
Publisher: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Citation: DOMINGUES, Rosa Maria Soares Madeira et al. Access to and utilization of prenatal care services in the Unified Health System of the city of Rio de Janeiro, Brazil. Rev. bras. epidemiol., v.16, n.4, p.953-965, 2013.
DOI: 10.1590/S1415-790X2013000400015
ISSN: 1415-790X
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - Artigos de Periódicos



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.