Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/12120
Title: Deficiência de vitamina D em indivíduos HIV-positivos expostos ou não a esquemas antirretroviraisum estudo transversal
Advisor: Costa, Filipe Aníbal Carvalho
Members of the board: Silva, Walter de Araújo Eyer
Ferry, Fernando Raphael de Almeida
Bóia, Márcio Neves
Suárez Mutis, Martha Cecília
Authors: Silva, Guilherme Almeida Rosa da
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: A deficiência de vitamina D é uma condição subdiagnosticada e geralmente não aventada como alvo de investigação laboratorial por parte dos clínicos. Estima-se que em torno de 36% dos adultos saudáveis e 57% dos pacientes internados apresentem algum grau de deficiência de vitamina D. A prevalência elevada desta deficiência deve-se aos polimorfismos dos genes implicados na resposta à vitamina D, baixa exposição solar, interações medicamentosas e aspectos nutricionais. A aplicação das pesquisas relacionadas à vitamina D e AIDS se baseia em possíveis usos na redução da transmissibilidade, redução da progressão clínica, interações medicamentosas, redução na incidência de infecções, neoplasias, doenças autoimunes e queda da mortalidade geral. Este estudo visa obter a prevalência da deficiência de vitamina D entre em pacientes com diagnóstico de infecção pelo HIV acompanhados em um grande ambulatório de referência no município do Rio de Janeiro, avaliar a associação do uso de antirretrovirais e deficiência de vitamina D, associação entre a contagem de linfócitos TCD4+ e a deficiência de vitamina D, associação entre a carga viral plasmática do HIV e a deficiência de vitamina D e realizar a análise estatística dos dados utilizando técnicas descritivas e exploratórias. Dos pacientes estudados, um total de 91 (72,8%) apresentou deficiência de vitamina D, definida por concentração plasmática inferior a 32 ng/dL O grupo foi classificado categoricamente em deficiência grave, com valores inferiores a 10 ng/dL (5 indivíduos), deficiência moderada, entre 10-19 ± (36 indivíduos), deficiência leve, 20-31 ng/dL (50 indivíduos) e suficiência, maiores ou iguais a 32 ng/dL (34 indivíduos). Não foi encontrada associação entre as concentrações plasmáticas de vitamina D e as variáveis idade, sexo, tempo de diagnóstico, tempo de uso de terapia antirretroviral, carga viral plasmática do HIV e esquema antirretroviral atual. Através de regressão linear, foi encontrada uma tendência de associação entre a concentração plasmática de vitamina D e a contagem de linfócitos T CD4+ de maneira inversamente proporcional (R2 = 0,029; p = 0,058). Houve correlação estatisticamente significativa entre o tempo acumulado de uso de efavirenz e a concentração plasmática de vitamina D de forma inversamente proporcional (R² = 0,071 e p = 0,03). Quando utilizado o teste T para comparação entre médias entre os usuários de TARV (VDmédia = 25,91 + 12,226) e os virgens de tratamento (VDmédia = 29,71 + 12,141), não foi encontrada diferença estatisticamente significativa (p = 0,2). Este estudo sugere que a deficiência de vitamina D entre os pacientes com a infecção pelo HIV pode estar associada ao tempo acumulado de uso de efavirenz
Abstract: The vitamin D deficiency is an underdiagnosed condition and generally not investigat ed by the clinical laboratory. It is estimated that around 36 % of healthy adults and 57 % of hospitalized patients in the U.S. have some degree of vitamin D defiency . The high prevalence of this conditi on is due to polymorphisms of genes involved in the response to vitamin D, low sun exposure, drug interactions , and nutritional aspects. The application of research related to vitamin D and AIDS is based on possible uses : reduc tion in transmission, reduct ion in clinical progression, drug interactions, reduced incidence of infections, malignancies, autoimmune diseases , and decreased overall mortality. This study aims to determine the prevalence of vitamin D deficiency among patients diagnosed w ith HIV infec tion followed at a great reference outpatient clini c in the city of Rio de Janeiro , assess the association between use of antiretroviral drugs and vitamin D deficiency , association between CD4 + lymphocyte count and vita min D , between plasma HIV vira l load and vitamin D deficiency, and perform statistical analysis of the data using descriptive and exploratory techniques. Of the patients studied, a total of 91 ( 72.8 %) had vitamin D defiency , defined as plasma concentration below 32 ng / dL. The group was ra ted categorically in severe d efiency with less than 10 ng / dL (5 subjects), moderate d efiency , between 10 - 19 ± (36 subjects ) , mi ld d efiency, 20 - 31 ng / dL (50 individuals ) , and sufficiency , greater than or equal to 32 ng / dL (34 individuals ) . No assoc iation was found between plasma concentrations of vitamin D and the variables age, sex, time since diagnosis , duration of use of antiretroviral therapy, plasma HIV viral load , and current antiretroviral regimen . Using l inear regression, a trend for associa tion was found between the plasma concentration of vitamin D and T CD4 + lymphocytes in a inversely proportional manner (R2 = 0.029, p = 0.058). There was a statistically significant correlation between the cumulative usage time of efavirenz and plasma con centrations of vitamin D in a inversely proportional manner (R ² = 0.071 and p = 0.03). When used the T test to compare means between HAART users (12,226 + VDmédia = 25.91) and naïve (VDmédia = 29.71 + 12.141), no statistically significant difference was f ound (p = 0.2 ) . This study suggests that vitamin D deficiency among patients with HIV infection may be associated to the accumulated time use of efavirenz
Keywords: Vitamin D
AIDS
Antiretroviral drugs
keywords: Vitamina D
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Antirretrovirais
AIDS
DeCS: Vitamina D
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Antirretrovirais
Estudos Transversais
Issue Date: 2014
Citation: SILVA, G. A. R. da. Deficiência de vitamina D em indivíduos HIV-positivos expostos ou não a esquemas antirretroviraisum estudo transversal. 2014. 74 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2014.
Date of defense: 2014-03-14
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Medicina Tropical
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical
Copyright: open access
Appears in Collections:IOC - PGMT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
guilherme_silva_ioc_mest_2014.pdf950.11 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.