Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/13080
Title: Avaliação da resposta de células T frente aos peptídeos de GAG e NEF do HIV-1 e de parâmetros imunológicos e genéticos associados ao controle da replicação viral
Advisor: Morgado, Mariza Gonçalves
Members of the board: Cruz, Alda Maria da
Cunha Neto, Edecio
Bento, Cleonice Alves de Melo
Bonaldo, Myrna Cristina
Lima Junior, Josué da Costa
Authors: Côrtes, Fernanda Heloise
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: A pandemia do HIV-1 é a infecção emergente mais importante das últimas décadas. O desenvolvimento de uma vacina é colocado como a melhor estratégia para o controle da pandemia. No entanto, entre os candidatos vacinais que evoluíram para testes clínicos de eficácia, apenas um mostrou resultados positivos, mas com uma modesta eficácia (31,2%). Além da busca por uma vacina eficiente contra a infecção pelo HIV-1, o desenvolvimento de estratégias para se atingir a cura também é essencial. Considerando esses dois objetivos principais, diversos fatores são colocados como obstáculos, sendo a enorme diversidade genética do HIV-1 e a falta de correlatos de proteção contra a doença ou a infecção, os pontos centrais e nos quais focamos nossa atenção. No primeiro trabalho, foi avaliada a resposta de células T frente a peptídeos derivados de sequências consensos e sequências de isolados virais mais próximos ao consenso (CVI) dos três subtipos prevalentes no Brasil, B, C e F1 e do grupo M. O estudo incluiu 32 indivíduos infectados com o HIV-1, subtipo B (n = 13), subtipo C (n = 11) e subtipo F1 (n = 8). As respostas específicas frente a Gag e Nef foram avalidas usando o ensaio de ELISpot IFN-\03B3. Peptídeos baseados nas sequências CVI apresentaram capacidade de redução da distância genética e de detecção da resposta de células T similar ao observado para as sequências consenso Em geral, o nível de reatividade cruzada entre os subtipos B e F1 foi maior do que entre os subtipos B e C ou entre os subtipos C e F1. Esses resultados sugerem que o obstáculo imposto pela diversidade genética no desenho de vacinas é dependente dos subtipos envolvidos. No segundo trabalho foi avaliada a resposta de células T de indivíduos controladores da replicação viral frente aos peptídeos consenso, derivados do primeiro estudo. Além disso, foi feita uma avaliação de fatores genéticos e imunológicos nesse grupo de controladores. O estudo incluiu três grupos de controladores: 1) Controladores de Elite (EC, n=7) com carga viral (CV) <80 cópias/mL em todos os pontos; 2) Controladores de Elite com Blips (EEC, n=5) com CV>80 cópias/mL em apenas 30% dos pontos e 3) Controladores Virêmicos (VC, n=7) com CV <5.000 cópias/mL e >80 cópias/mL em mais de 30% dos pontos. Indivíduos infectados pelo HIV-1 não tratados (NC) ou em tratamento antirretroviral (HAART) e indivíduos não infectados pelo HIV-1 foram analisados como controles. A coorte de controladores foi enriquecida em alelos protetores HLA-B, B*27 e B*57, mas não foi observada diferenças significativas entre os três grupos de controladores. O DNA viral circular (2-LTR) foi detectado nos EEC (3/5) e nos VC (6/7), mas não nos EC Uma frequência maior de células T CD8+ ativadas foi observada em EEC e VC quando comparada a indivíduos não infectados. Os EC demonstraram uma resposta de células T de menor magnitude frente a Gag/Nef e uma proporção de anticorpos IgG anti-HIV significativamente menor (P < 0,05) que os grupos de EEC, VC e NC. Esses resultados demonstram que EEC e VC são capazes de montar uma resposta imune específica mais forte frente a estímulos do HIV-1, mas paralelamente, apresentam maiores níveis de ativação imune, translocação microbiana e maior reservatório viral, quando comparados aos EC. Esses resultados destacam a heterogeneidade dos indivíduos capazes de controlar a replicação viral e reforçam a necessidade de uma classificação mais precisa de indivíduos infectados pelo HIV-1 com diferentes níveis de controle
Abstract: The HIV - 1 pandemic bas been the most relevant infections that has emerged in the last decades. V accine developmen t has been considered as the best strategy to control th is pandemi c, h owever, the candidate vaccines that have evolved to the stage of efficacy clinical trials , only one presented positive results and even that with very modest efficacy (31,2%). As such, s trategies to find a cure is essential though has been hindered by several obstacles such as t he enormous genetic diversity of HIV - 1 and lack of correlates of protection against disease or infection . These two obstacles were investigated in the present stu dy by evaluating the T cell response against peptides based on consensus and closest viral isolate sequences (CVI) from the three prevalent subtypes in Brazil, B, C and F1 and from group M consensus. The study included 32 subjects infected with HIV - 1 subty pe B (n = 13), C (n = 11), and F1 (n = 8). Gag and Nef - specific T cell responses were evaluated by IFN - γ - ELISpot assay. Peptides based on CVI sequences were similar to consensus in both reducing genetic distance and detecting T cell responses . Overall, the level of cross - subtype response between su btypes B and F1 was higher than between subtype C and B or C and F1. Our results suggest that the barrier of genetic diversity in HIV - 1 group M for vaccine design may be dependent on the subtypes involved. The second study evaluated the T cell response fr om controllers against peptides derivate d from the first study. In addition , we performed an evaluation of the genetics and immunologic patterns in this cohort of controllers. The study included three controller groups: 1) Elite Controllers (EC, n = 7) wit h VL <80 copies/mL in all determinations; 2) Ebbing Elite Controllers (EEC, n = 5) with transient viremia (blips); and 3) Viremic Controllers (VC, n = 7) with plasma viremia <5,000 copies/mL. HIV - 1 infected subjects u ntreated non - controllers (NC), patients under suppressive HAART and HIV - 1 negative healthy individuals were also analyzed as controls. This cohort was enriched by the protective HLA - B alleles B*27 and B*57, but no significant differences were observed among distinct groups of controllers. 2 - LTR circles were detected in EEC (3/5) and VC (6/7) , but not in EC. A higher frequency of activated CD8 + T cells was observed in EEC and VC than in HIV negative subjects. EC displayed a weaker Gag/Nef IFN - γ T cell response and a significantly lower proportion (p < 0.05) of anti - HIV IgG antibodies than EEC, VC and NC groups. These data showed that EEC and VC are able to mount a stronger HIV - specific immune response, but experience increases in the level of immune activation, microbial translocation and size of the HIV - 1 DNA reservoir compared to EC. These results highlight the heterogeneity of the HIV controllers and reinforce the needs for a precise classification of patients with different levels of viral suppression.
DeCS: HIV-1
Linfócitos T CD8-Positivos
Replicação Viral
Imunidade nas Mucosas
Issue Date: 2014
Citation: CORTES, F. H. Avaliação da resposta de células T frente aos peptídeos de GAG e NEF do HIV-1 e de parâmetros imunológicos e genéticos associados ao controle da replicação viral. 2014. 111f. Tese (Doutorado em Biologia Parasitária) - Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, 2014.
Date of defense: 06-26-2014
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Biologia Parasitária
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Biologia Parasitária
Copyright: open access
Appears in Collections:IOC - PGBP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
fernanda_cortes_ioc_dout_2014.pdf5.59 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.