Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/14637
Title: Educação em saúde na prevenção e controle da esquistossomoseavaliação de duas abordagens educativas com professores do município endêmico de Malacacheta-Minas Gerais
Advisor: Favre, Tereza Cristina
Massara, Cristiano Lara
Members of the board: Thiengo, Silvana Aparecida Rogel Carvalho
Pimenta, Denise Nacif
Lemos, Evelyse dos Santos
Guimarães, Maria Cristina Soares
Trajano, Valeria da Silva
Authors: Murta, Felipe Leão Gomes
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Introdução: A esquistossomose mansônica é endêmica no Brasil. As crianças em idade escolar detêm as maiores prevalências e cargas parasitárias. Estudos que avaliaram os limites e possibilidades das abordagens educativas para o controle da endemia sugerem que os programas devem investir em estratégias que levem em conta a realidade local, o empoderamento e a integração dos profissionais da saúde e educação e o desenvolvimento de ações com os grupos mais vulneráveis, como os escolares. Objetivos: Este trabalho visa: (a) estimar as taxas de infecção por Schistosoma mansoni entre os profissionais de educação no município de Malacacheta, área endêmica de Minas Gerais; (b) formar professores multiplicadores do conhecimento sobre esquistossomose entre os escolares; (c) avaliar o uso, no ensino fundamental, de duas abordagens educacionais sobre prevenção e controle da esquistossomose; e (d) verificar se as abordagens educacionais contribuem para promover mudanças no nível do conhecimento que aproxime o saber popular e o científico dos professores e alunos de forma sustentável no tempo Metodologia: A positividade para S. mansoni nos profissionais da educação do município foi estimada através de inquérito parasitológico de fezes (n=522), usando o método de Kato-Katz. Dois cursos de atualização sobre a doença, com abordagens distintas, foram ministrados para professores de diferentes disciplinas do município endêmico de Malacacheta, Minas Gerais. Questionários semiestruturados foram aplicados aos professores e seus alunos, antes e após as ações educativas, para levantar os conhecimentos prévios e adquiridos. Resultados: A prevalência da esquistossomose no grupo estudado foi de 5,9% e os resultados das análises dos questionários/entrevistas apontam para mudança significativa no conhecimento sobre a doença, tanto nos professores que participaram dos cursos, quanto de seus alunos. As ações educativas contribuíram para aumentar o conhecimento sobre a doença de um modo geral, que foi multiplicado e sustentável mesmo após um ano das ações educativas
Abstract: Schistosomiasis mansoni is endemic in Brazil. The highest prevalences and parasite loads are among school-age children. Studies to evaluate the limitations and potential of educational approaches to its control suggest that programmes should invest in strategies that address the local situation and the empowerment and integration of health and education personnel and provide for actions with the most vulnerable groups, such as schoolchildren. Objectives: This study aims: (a) to assess infection rates by Schistosoma mansoni among education personnel in Malacacheta, a municipality in the endemic area of Minas Gerais; (b) to train teachers as multipliers of knowledge of schistosomiasis among schoolchildren; (c) to evaluate the use, with primary and middle-school teachers, of two educational approaches on schistosomiasis prevention and control; and (d) to ascertain whether the educational approaches contributed to knowledge rearrangement that approximates the popular and scientific know-how of teachers and their pupils and whether that knowledge is sustainable in time Methodology: S. mansoni infection among education personnel in the municipality was estimated by parasitology stool test (n=522), using the Kato-Katz method. Two refresher courses using different, but complementary, educational approaches (critical pedagogy and pedagogy of creative play) to the disease were given to teachers of various different subjects. Semi-structured questionnaires were applied to teachers and their pupils, before and after the educational actions, in order to survey prior and acquired knowledge. Results: Prevalence of schistosomiasis in the study group was 5.9%, while the results of analysis of the questionnaires/interviews pointed to significant changes in knowledge of the disease among teachers who took the course and their pupils. The educational actions contributed to improve the knowledge about the disease in general, which was multiplied and sustained even after one year the educational actions
keywords: Epidemiologia
DeCS: Esquistossomose
Educação em Saúde
Docentes
Doenças Endêmicas
Brasil
Issue Date: 2016
Citation: MURTA, Felipe Leão Gomes. Educação em saúde na prevenção e controle da esquistossomose avaliação de duas abordagens educativas com professores do município endêmico de Malacacheta-Minas Gerais. 2016. 119 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2016.
Date of defense: 2016-Jan-29
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Medicina Tropical
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical
Copyright: open access
Appears in Collections:IOC - PGMT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf2.45 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.