Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/15832
Title: O programa de controle da esquistossomose: uma análise de implantação em municípios do estado de Pernambuco, Brasil, entre 2010-2012
Other Titles: The schistosomiasis control program: an analisys of implementation in municipalities of the state of Pernambuco, Brazil, between 2010-2012.
Advisor: Barbosa, Constança Simões
Members of the board: Barbosa, Constança Simões
Araújo Junior, José Luis Corrêa do Amaral
Farias, Sidney
Dubeux, Luciana Santos
Oliveira, Renata Patrícia
Authors: Quinino, Louisiana Regadas de Macedo
Coadvisor: Samico, Isabella Chagas
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil
Abstract: O controle da esquistossomose tem sido influenciado pelo contexto econômico e político no Brasil, de modo que, em detrimento de todo aparato normativo existente no sentido de implementar seu controle obedecendo aos preceitos do Sistema Único de Saúde (SUS), ainda persiste a realização de ações desarticuladas. A fim de avaliar que fatores estão influenciam a realização destas ações, realizou-se uma análise de implantação do tipo 1b, que verificou a influência de fatores políticos e estruturais no Grau de implantação (GI) do Programa de Controle da Esquistossomose (PCE) em municípios de Pernambuco, Brasil, entre 2010-2012, considerando os preceitos do processo de descentralização do SUS. Elaboraram-se os modelos teórico-lógicos do programa que explicitaram a relação abordada. Montaram-se matrizes de indicadores a partir das quais se elaboraram questionários estruturados que foram aplicados aos profissionais das equipes de Vigilância em Saúde (EVS) e de Saúde da Família (EqSF) de 23 municípios endêmicos, selecionados aleatoriamente. Atribuíram-se pontos de acordo com a importância de cada item das matrizes, de modo que se pôde classificar o GI do PCE em implantado (75 a 100), parcialmente implantado (50 a 74,9), incipiente (25 a 49,9) e não implantado (menos que 24,9) . O programa teve implantação incipiente (38,94 pontos), tendo contribuído para este resultado tanto aspectos da estrutura quanto do processo. Na esfera política, influenciaram este resultado deficiências no conhecimento sobre a clínica e a epidemiologia, o que obscureceu a visão integral e desencorajou a articulação com outros setores. No âmbito estrutural, fatores como a não formalização dos objetivos, incipiência da cultura gestora, centralização de decisões, clima organizacional ruim e falta de estrutura contribuíram para a não implantação das ações. Conclui-se que o modelo utilizado foi suficiente para explicar o hiato existente entre a formulação e a implantação das ações (AU)
keywords: Esquistossomose mansoni – prevenção & controle
Avaliação de programas e projetos de saúde
Política de saúde
Estratégia de Saúde da Família
DeCS: Esquistossomose mansoni/prevençäo & controle
Avaliação de programas e projetos de saúde
Política de saúde
Estratégia Saúde da Família
Inquéritos e Questionários
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
Sistema Único de Saúde
Governo Local
Brasil
Issue Date: 2015
Citation: QUININO, Louisiana Regadas de Macedo. O programa de controle da esquistossomose: uma análise de implantação em municípios do estado de Pernambuco, Brasil, entre 2010-2012. 2015. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2015.
Date of defense: 2015-03-03
Place of defense: Recife/PE
Defense institution: Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil
Program: Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública
Copyright: open access
Appears in Collections:PE - IAM - PPGSP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015quinino-lrm.pdf2.15 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.