Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/17168
Title: Representações sobre dengue na comunicação midiática: há preocupação com a competência informacional?
Authors: Villela, Edlaine Faria de Moura
Natal, Delsio
Affilliation: Ministério da Saúde. Consultora técnica no Centro de Informações Estratégicas e resposta em Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. Doutora em Ciências (Área: Epidemiologia) pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 2012 (FSP/USP). Mestre em Saúde Pública pela FSP/USP, 2009. Especialista em Divulgação científica em Saúde, 2010 (UNICAMP). Especialista em Saúde Ambiental pela FSP/USP, 2008. Graduada em Ciências Biológicas pela UNESP, 2007. Graduada em Ciências da Informação e da Documentação pela USP, 2012. Graduada em Pedagogia pela UNINOVE, 2009.
Universidade de São Paulo. Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1977), mestrado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (1982) e doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (1986). Atualmente é professor associado da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: culicidae, aedes aegypti, dengue, culex quinquefasciatus e controle.
Abstract: ResumoConsiderar o problema da dengue exclusivamente no contexto biológico não é suficiente. A mídia é produtor ativo de sentidos que reforça comportamentos em vez de modificar, por não se ponderar de que não se pode ensinar à população condutas promotoras de saúde sem considerar seus conhecimentos prévios. Nesse estudo, analisa-se a comunicação da mídia impressa sobre a promoção de ações educativas para o combate da primeira epidemia de dengue na cidade de Ribeirão Preto, SP, de novembro/1990 a março/1991. O método utilizado foi o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). O DSC tem suas bases na Teoria da Representação Social, a qual viabiliza a construção de painel de discursos sobre a realidade. Foram encontradas 125 notícias sobre a epidemia, nos jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, A Cidade (local), e nas revistas Veja e Revide (local). Seis subtemas emergiram da análise das notícias. O recorte escolhido para este trabalho foi o subtema ações educativas promovidas. Das 125 notícias, 76 não fizeram referência a esse importante assunto. Das 49 que abordaram, 19 enfocaram como foi feita a promoção de ações educativas para a mobilização da população, sete reconheceram a necessidade de conscientização, mas não apresentaram nenhuma proposta e apenas cinco delas trataram da escassez de ações educativas e da falta de informação. A população não foi estimulada a questionar constantemente atitudes e hábitos para auxiliar de forma significativa o controle da epidemia. Assim, fica evidente a prevalência de questões políticas sobre questões prioritárias de saúde, o que dificulta a conquista da competência informacional. Nota-se que a análise do conteúdo informacional midiático das epidemias passadas é de extrema importância para a reformulação do como informar, preparando-se para desafios futuros.Recebimento: 21.11.2012Aceite: 13.03.2013 
keywords: Dengue
Teoria da Representação Social
Mídia Impressa
Discurso do Sujeito Coletivo
Educação em Saúde
Issue Date: 2013
Publisher: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Cientifica e Tecnológica em Saúde.
Copyright: open access
Appears in Collections:ICICT - RECIIS - Volume 7 - Número 1

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
6.pdf255.09 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.