Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/17240
Title: Comunicação em saúde na atenção terciária: estudo exploratório sobre a informação retida pelo paciente
Authors: Sousa-Muñoz, Rilva Lopes de
Fernandes, Bruno Melo
Sá, Raissa Dantas de
Filho, Antônio Edilton Rolim
Athayde, Rodolfo Augusto Bacelar de
Duarte, Samuel Gouveia da Costa
Silva, Isabel Barroso Augusto
Affilliation: Médica, Professora do Departamento de Medicina Interna, Centro de Ciências Médicas, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil
Estudante do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal da Paraíba, Bolsista PROBEX, João Pessoa, PB, Brasil
Estudante do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal da Paraíba, Bolsista PROBEX, João Pessoa, PB, Brasil
Estudante do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal da Paraíba, Bolsista PROBEX, João Pessoa, PB, Brasil
Estudante do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal da Paraíba, Bolsista PROBEX, João Pessoa, PB, Brasil
Estudante do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal da Paraíba, Bolsista PROBEX, João Pessoa, PB, Brasil
Médica, Professora do Departamento de Medicina Interna, Centro de Ciências Médicas, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil
Abstract: O objetivo deste estudo foi a valiar o conhecimento do paciente sobre sua doença e terapêutica após seis meses de acompanhamento ambulatorial com ações de educação em saúde em projeto de extensão. O delineamento foi longitudinal e experimental. A cada visita mensal do paciente aoambulatório, os alunos extensionistas forneceram, de forma repetida, a informação sobre sua doença crônica e tratamento, empregando processo de educação em saúde, durante as consultas e individualmente. Para a realização das entrevistas, foi utilizado um questionário padronizado para avaliar a retenção da informação pelo paciente, aplicado no atendimento inicial e seis meses após a execução do projeto de educação em saúde. H ouve ampliação da informação sobre diagnósticos, que foram congruentes com os reais, assim como sobre os medicamentos em uso; 33,3% que relataram conhecer o nome dos medicamentos em uso no início do acompanhamento passaram para 65,5%; os 12,5% que sabiam os efeitos colaterais dos medicamentos passaram a 41,7%. Conclui-se que osbenefícios do Projeto Continuum de extensão foram, em curto prazo, uma melhora da informação adquirida pelos pacientes. Mais do que elaborar conclusões, este estudo levanta a questão da necessidade de se adotarem programas de ações educativas voltadas para o paciente a fim de aumentar seu conhecimento sobre o próprio tratamento e, consequentemente, suas possibilidades de adesão à terapêutica.Informações do artigoRecebido em: 16/01/2011  Aceito em: 21/03/2012Fonte de financiamento: Trabalho realizado no Programa de Bolsas de Extensão da UFPB.
keywords: comunicação em saúde
relação médico-paciente
ambulatório hospitalar
continuidade da assistência ao paciente
Issue Date: 2012
Publisher: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Cientifica e Tecnológica em Saúde.
Copyright: open access
Appears in Collections:ICICT - RECIIS - Volume 6 - Número 1

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2.pdf73.32 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.