Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/1733
Title: Modos de vida e modos de beber de jovens indígenas em um contexto de transformações
Other Titles: Ways of life and ways to drink of young indigenous in a transformation context
Authors: Souza, Maximiliano Loiola Ponte de
Deslandes, Suely Ferreira
Garnelo, Luiza
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Leônidas e Maria Deane. Manaus, AM, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Fernandes Figueira. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Leônidas e Maria Deane. Manaus, AM, Brasil
Abstract: Através de uma pesquisa etnográfica, analisaram-se as interações entre os atuais modos de vida e de beber de jovens indígenas de uma populosa localidade do Alto Rio Negro. Para tanto, se utilizou um modelo teórico que permitiu decompor e articular a realidade social em diferentes níveis. Observou-se que houve a multiplicação das situações em que se bebe, que são associadas a mecanismos tanto de demarcação de pertencimento como de explicitação de diferenças intergrupais. Atualmente, os jovens inserem-se em múltiplas redes de interação. Através delas, podem criar ambientes juvenis de consumo de álcool, beber longe dos pais e comprar bebidas industrializadas. Com a introdução da escola e o abandono dos rituais de iniciação, o status do jovem tornou-se incerto e sobre ele incidem de forma ambígua as normas sociais de consumo de álcool, num contexto no qual não há consenso na prática cotidiana a respeito das possíveis estratégias para regular o beber juvenil. Através desta pesquisa, puderam-se aventar alternativas teórico-metodológicas para investigar as relações que se estabelecem entre os modos de vida e a produção da saúde e da doença, incorporando a esta análise a cultura (e sua transformação), a vida cotidiana (e suas contradições), as pessoas (e suas subjetividades).
Abstract: The interactions among the ways of life and drink of youths indigenous of a populous place of Upper Rio Negro were analyzed through an ethnographic research. It was used a theoretical model that allowed to decompose and to articulate the social reality in different levels. It was observed that there was a multiplication of the situations in which is possible to drink, that are associated to mechanisms as much of belonging demarcation as of exposition of differences inter-group. Nowadays, youths insert themselves in multiple interaction networks. Through these networks they can create juvenile atmospheres of alcohol consumption, drink far away from the parents and buy industrialized drinks. With the introduction of the school and the abandonment of the initiation rituals, the youth status became uncertain, and it occurs in an ambiguous way the social norms of alcohol consumption, in a context in which there is no consensus in daily practice respect of the possible strategies to regulate juvenile drinking. Through this research, theoretical-methodological alternatives could be suggested to investigate the relationships that are established between the ways of life and the production of the health and disease, incorporating in this analysis the culture (and its transformation), the daily life (and its contradictions), the people (and its subjectivities).
Keywords: Índios Sul-americanos
Consumo de Álcool
Juventude
Keywords: South American Indians
Youth, Life’s Conditions
Alcohol Consumption
DeCS: Consumo de Bebidas Alcoólicas - epidemiologia
Índios Sul-Americanos
Estilo de Vida
Brasil
Características Culturais
Adulto Jovem
Condições de Vida
Issue Date: 2010
Bibliography : Pagliaro H, Azevedo MM, Santos RV. Demografia dos povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. Jackson JE. The fish people: linguistic exomamy and Tukanoan identity in Northwest Amazon. Cambridge: Cambridge University Press; 1983. Chernela JM. The Wanano Indians of the Brazilian Amazon: a sense of space. Austin: University of Texas Press; 1993. Hugh-Jones C. From the milk river: spatial and temporal processes in Northwest Amazonia. Cambridge: Cambridge University Press; 1979. Hugh-Jones, S. The palm and the pleiades: Initiation and Cosmology in Northwest Amazonia. Cambridge: Cambridge University Press; 1979. Souza MLP, Garnelo L. Quando, como e o que se bebe: o processo de alcoolização entre populações indígenas do Alto Rio Negro, Brasil. Cad Saude Publica 2007; 23(7):1640-1648. Andrello G. Cidade do índio: transformações e cotidiano em Iauaretê. São Paulo: UNESP/ISA; 2006. Lasmar C. De volta ao lago de leite: gênero e transformação no Alto Rio Negro. São Paulo: UNESP/ISA; Rio de Janeiro: NUTI; 2006. Almeida-Filho N. Modelos de determinação social das doenças crônicas não-transmissíveis. Cien Saude Colet 2004; 9(4):865-884. Castellanos PL. Epidemiologia, saúde pública, situação de saúde e condições de vida: considerações conceituais. In: Barata RB, organizadora. Condições de vida e situação de saúde. Rio de Janeiro: Abrasco; 1997. p. 31-75. Cotandriopoulus AP. Pode-se construir modelos baseados na relação entre contextos sociais e saúde?. Cad Saude Publica 1998; 143(1):199-204. Groppo LA. Juventude: ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difeli; 2000. Menendez EL. El proceso de alcoholización: revisión crítica de la producción socioantropológica, histórica y biomédica en América Latina. Cuaderno de la Casa Chata 1982; 57:61-94. 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. Edwars G, Marshall EJ, Cook CCH. O tratamento do alcoolismo: um guia prático para profissionais de saúde. 3ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 1999. Sabroza PC, Toledo L, Osanai CH. Organização do espaço e os processos endêmico-epidêmicos. In: Leal MC, Sabroza PC, Rodriguez RH, Buss PM, organizadores. Saúde, ambiente e desenvolvimento. 1ª ed. Rio de Janeiro: Abrasco/Hucitec; 1992. p. 56-77. Breilh J, Granda E. Os novos rumos da epidemiologia. In: Nunes ED, organizador. As Ciências Sociais em Saúde na América Latina: tendências e perspectivas. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 1985. p. 141-153. Barreto ML. A epidemiologia, sua história e crises: notas para pensar o futuro. In: Costa DC, organizador. Epidemiologia: teoria e objeto. Rio de Janeiro: Abrasco/Hucitec; 1990. p. 19-38. Clifford J. A experiência etnográfica. Antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ; 2002. Souza MLP. Alcoolização e violência no Alto Rio Negro [dissertação]. Manaus (AM): Universidade Federal do Amazonas; 2004. Hill J. Wakuenai cerimonial exchange in northwest Amazon. J Lat Am Lore. 1987; 13(2):183-224. Goldman I. The Cubeo: Indians of the northwest Amazon. Urbana: University of Illinois Press; 1963. Brasil. Lei nº 6.001 de 19 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o Estatuto do Índio. Diário Oficial da União 1973; 21 dez. Kunitz SJ, Levy JE. Drinking careers: a twenty-fiveyear study of three Navajo populations. New Haven/ London: Yale University Press; 1994.
Citation: SOUZA, Maximiliano Loiola Ponte de; DESLANDES, Suely Ferreira; GARNELO, Luiza. Modos de vida e modos de beber de jovens indígenas em um contexto de transformações. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, p. 709-716, maio. 2010.
DOI: 10.1590/S1413-81232010000300013
ISSN: 1678-4561
Copyright: open access
Appears in Collections:AM - ILMD - Artigos de Periódicos
IFF - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Modos de vida e modos de beber de jovens indígenas.pdf332.97 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.