Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/18629
Title: Um desafio para a saúde pública brasileira: o controle do dengue
Other Titles: Dengue control: a challenge for the public health system in Brazil
Authors: Penna, Maria Lucia F.
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública. Departamento de Endemias Samuel Pessoa. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: Este artigo problematiza a estratégia tradicional de controle do Aedes aegypti por meio do trabalho de guardas sanitários, com visitas periódicas a todas as edificações urbanas. Ela não é viável e/ou não tem factibilidade administrativa atualmente, já que vem sendo proposta desde a década de 80 e não é implementada. A reforma sanitária brasileira priorizou a ampliação da cobertura dos serviços básicos de saúde e não as ações de controle de doenças específicas. O A. aegypti reintroduzido para iniciar a reocupação de seu antigo habitat em 1976, está atualmente em um processo de reocupação do país até atingir seu equilíbrio Isto como problema de saúde coletiva, diz respeito ao meio ambiente urbano, portanto um problema de todos, população e poder público, não apenas da área de saúde. A necessidade da atuação conjunta da área de saneamento e meio ambiente neste caso é ressaltada. Deve-se também repensar a contribuição da população como efetiva e permanente, separando obrigações e direitos do poder público e da população, separando o público do privado. O perigo do reaparecimento da febre amarela deve ser considerado no estabelecimento de uma nova estratégia factível e viável para lidar com o problema do dengue.
Abstract: This article presents a critical analysis of the traditional strategy used to control Aedes aegypti using "health surveillance patrols", with periodic visits to all urban buildings. The strategy is not viable and/or is administratively unfeasible at present, since it has been proposed since the 1980s but has not been implemented. Brazilian health reform prioritized the expansion of coverage for basic health services, and not measures to control specific diseases. A. aegypti, which was reintroduced and began the reoccupation of its old habitat in 1976, is currently in a process of re-infesting the country until reaching equilibrium. This public health problem relates to the urban environment and is thus a problem that affects everyone, both the population and government, and not merely the health sector. The article highlights the need for joint action in sanitation and the environment. The population's role should also be reshaped as effective and permanent, separating the rights and duties of government and the population, i.e., making a clear distinction between the public and private domains. The danger of resurgence of yellow fever should be considered when establishing a new, feasible strategy for dealing with the dengue problem.
Keywords: Dengue
Yellow Fever
Aedes
Vector Control
Mosquito Control
keywords: Dengue
Febre Amarela
Aedes
Controle de Vetores
Controle de Mosquitos
DeCS: Dengue
Febre Amarela
Aedes
Controle de Vetores
Controle de Mosquitos
Issue Date: 2003
Publisher: ENSP/Fiocruz
Citation: PENNA, Maria Lucia F. Um desafio para a saúde pública brasileira: o controle do dengue. Cadernos de Saúde Pública, v.19, n.1, p.305-309, 2003
DOI: 10.1590/S0102-311X2003000100034
ISSN: 1678-4464
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DesafioSaúdePúblicaBrasileira.pdf46.2 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.