Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/19449
Title: Perfil sexual da população brasileira: resultados do Estudo do Comportamento Sexual (ECOS) do brasileiro
Other Titles: Sexual profile of brazilian population: results from Brazilian Study of Sexual Behavior (BSSB)
Authors: Abdo, Carmita Helena Najjar
Oliveira Jr, Waldemar Mendes
Moreira Junior, Edson Duarte
Fittipaldi, João Antônio Saraiva
Affilliation: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. São Paulo, SP, Brasil
Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. São Paulo, SP, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Núcleo de Epidemiologia e Estatística. Salvador, BA, Brasil
Laboratórios Pfizer. São Paulo, SP, Brasil / Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. São Paulo, SP, Brasil
Abstract: Objetivo: Apresentar os principais hábitos e disfunções sexuais da população brasileira. Materiais e Métodos: Amostra de 2.835 indivíduos (47% homens e 53% mulheres), maiores de 18 anos, foi pesquisada no ano de 2000. Testes de qui-quadrado foram realizados. Resultados: Para homens as principais disfunções foram: disfunção erétil (DE) - 46,2%, e ejaculação precoce (EP) - 15,8%, falta de desejo sexual (FDS) - 12,3% e disfunção orgásmica (DO) - 10%. Para mulheres: disfunção orgásmica (DO) - 29,3%, dor à relação sexual (DRS) - 21,1% e falta de desejo sexual - 34,6%. 4,9% dos homens e 16,4% das mulheres não têm vida sexual ativa. Mulheres indicam hoje vida sexual 5,6 anos mais cedo que há 40 anos. O número médio de relações sexuais por semana foi de 3,1para homens e 2,8 para mulheres. A maioria dos homens (72,4%) e das mulheres (57,7%) se disseram à vontade para falar sobre sexo, sendo os indivíduos mais velhos os mais insatisfeitos com a vida sexual. Afeto e carinho foram os elementos considerados mais importantes num relacionamento sexual, para homens (63,3%) e para mulheres (71,3%). O maior medo masculino numa relação sexual foi não satisfazer a parceira (62,6%) e em segundo lugar contaminar-se com DST (58,3%). Para as mulheres, o resultado foi inverso: contaminar-se com DST (54,1%) e não satisfazer o parceiro (45%). Conclusões: DE é a disfunção mais referida entre os homens. DO e FDS são muito mais comuns em mulheres. Para homens, o maior medo é de mau desempenho sexual e para as mulheres, contaminação com DST. Insatisfação sexual aumenta com a idade, para ambos os sexos. Nas últimas quatro décadas, o início da vida sexual tem ocorrido mais cedo para mulheres, enquanto para homens não se observou grande diferença.
Keywords: Sexual behavior
Sexual dysfunction
Sexual life quality
keywords: Comportamento sexual
Disfunção sexual
Qualidade de vida sexual
Issue Date: 2002
Publisher: Moreira Jr Editora Ltda
Citation: ABDO, C. H. N. et al. Perfil sexual da população brasileira: resultados do Estudo do Comportamento Sexual (ECOS) do brasileiro. Revista Brasileira de Medicina, v.59, p.250-257, 2002.
ISSN: 0034-7264
Copyright: open access
Appears in Collections:BA - IGM - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Abdo CHN Perfil Sexual da população....pdf2.7 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.