Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/20207
Title: RADIS - Número 32 - Abril
Responsible Institution: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca
Abstract: Cuidado e atenção integral à saúde, como bem sintetizam as ações do pequeno Programa de Assistência Domiciliar Interdisciplinar (Padi), realizado pelo Instituto Fernandes Figueira, da Fiocruz, serão sempre manchetes nesta revista. Não importa que o jornalismo de mercado só dê destaque ao que vai mal, como as inaceitáveis mortes na fila para cirurgias nos hospitais públicos do Rio, ao lado de belas propagandas de resgate por helicóptero de impagáveis planos de saúde, sem dar ao leitor condições de entender por que o sistema não está funcionando. Da mesma forma, a mídia valorizou a bem-vinda aprovação das pesquisas com células-tronco embrionárias, mas minimizou o desastre da liberação dos transgênicos na Lei de Biossegurança. O descaso da Prefeitura do Rio com a assistência à saúde da população é notícia aqui também. Mas como exemplo de sabotagem ao Sistema Único de Saúde, enfrentada, em boa hora, pela intervenção do Ministério da Saúde. Essa intervenção é mais uma tentativa de enfrentamento dos adversários da saúde pública, que em diferentes partes do Brasil aplicam no mercado financeiro, desviam para outras áreas ou empregam mal o dinheiro da saúde. Sabotagem de máfias de venda de equipamentos e distribuição de medicamentos, que, quando acuadas, chegam a ameaçar de morte os servidores realmente públicos. São 15 anos de um SUS ainda incompleto, cuja origem está nos movimentos sociais pela Reforma Sanitária, como retrata o livro A democracia in-conclusa (ver página 18), e a esperança de dar certo, em milhares de bons exemplos, como o trabalho do Padi, retratado em nossa matéria de capa. A reportagem mostra crianças com doenças crônicas, incuráveis, sendo atendidas fora do ambiente hospitalar de forma digna, melhorando seu estado a ponto de freqüentar a escola, e famílias participando do tratamento, enquanto tocam as suas vidas. São depoimentos emocionantes. “Não há nenhuma vergonha em ter um filho com uma doença grave, pode acontecer com qualquer um”, diz Liviam Damiele, mãe de uma das crianças levadas a passeios ao Corcovado e ao Pão de Açúcar, com seus aparelhos de respiração. Vergonha é quando as autoridades se mostram indiferentes à saúde da população.Rogério Lannes RochaCoordenador do Radis
Issue Date: 2005
Publisher: Fundação Oswaldo Cruz/ENSP
Citation: RADIS: Comunicação e Saúde. Rio de Janeiro: FIOCRUZ/ENSP, n. 32, abr. 2005. 20 p. Mensal.
Copyright: open access
Appears in Collections:RADIS - Comunicação e Saúde - 2005

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2005_Abril_32.pdf745.29 kBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.