Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/27174
Title: Efeitos da poluição do ar na função respiratória de escolares, Rio de Janeiro, RJ
Other Titles: Effect of air pollution on lung function in schoolchildren in Rio de Janeiro, Brazil
Authors: Castro, Hermano Albuquerque de
Cunha, Márcia Faria da
Mendonça, Gulnar Azevedo e Silva
Junger, Washington Leite
Cunha-Cruz, Joana
Leon, Antonio Carlos Ponce de
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Centro Municipal Necker Pinto. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Instituto de Medicina Social. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Instituto de Medicina Social. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Dental Public Health Sciences. University of Washington. Seattle, WA, USA
Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Instituto de Medicina Social. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: OBJETIVO: Analisar a associação entre exposição diária à poluição do ar e função respiratória de escolares. MÉTODOS: Estudo de painel com uma amostra aleatória de 118 escolares (seis a 15 anos de idade) da rede pública do Rio de Janeiro (RJ), residentes até 2 km do local do estudo. Dados sobre características das crianças foram obtidos por questionário, incluindo o International Study of Asthma and Allergies in Childhood. Exames diários de pico de fluxo foram realizados para medir a função respiratória. Dados diários dos níveis de PM10, SO2, O3, NO2 e CO, temperatura e umidade foram fornecidos por um monitor móvel. As medidas repetidas de função respiratória foram associadas aos níveis dos poluentes por meio de modelo multinível ajustado por tendência temporal, temperatura, umidade do ar, exposição domiciliar ao fumo, ser asmático, altura, sexo, peso e idade das crianças. RESULTADOS: O pico de fluxo expiratório médio foi 243,5 l/m (dp=58,9). A menor média do pico de fluxo expiratório foi 124 l/m e a maior 450 l/m. Para o aumento de 10 µg/m³ de PM10 houve uma diminuição de 0,34 l/min na média do pico de fluxo no terceiro dia. Para o aumento de 10 µg/m³ de NO2 houve uma diminuição entre 0,23 l/min a 0,28 l/min na média do pico de fluxo após a exposição. Os efeitos do CO e do SO2 no pico de fluxo dos escolares não foram estatisticamente significativos. O O3 apresentou um resultado protetor: o aumento de 10 µg/m³ de O3 estaria associado, um dia depois da exposição, a aumento de 0,2 l/min na média da função respiratória. CONCLUSÕES: Mesmo dentro de níveis aceitáveis na maior parte do período, a poluição atmosférica, principalmente o PM10 e o NO2, esteve associada à diminuição da função respiratória de crianças residentes no Rio de Janeiro.
Abstract: OBJECTIVE: To assess the association between daily exposure to air pollution and lung function in school children. METHODS: Panel study with a random sample of 118 students (between 6 and 15 years of age), enrolled in a public school of the city of Rio de Janeiro, state of Rio de Janeiro, and living within 2 km of the study site. Data on students' characteristics were obtained with a questionnaire, including the International Study of Asthma and Allergies in Childhood - ISAAC. Daily peak expiratory flow measurements were taken to measure lung function. Daily data on PM10, SO2, O3, NO2 and CO levels, temperature and humidity were provided by a portable monitor. Repeated measurements of lung function were associated with pollutant levels with a multilevel model adjusted for time trend, temperature, air humidity, exposure to smoking at home, presence of asthma, height, sex, weight and age of children. RESULTS: Mean peak expiratory flow was 243.5 l/m (sd=58.9). The lowest mean peak expiratory flow was 124 l/m, and the highest, 450 l/m. For the 10 µg/m³ increase in PM10, there was a 0.34 l/min decrease in mean peak flow on the third day. For the 10 µg/m³ increase in NO2, there was a decrease between 0.23 l/min and 0.28 l/min in mean peak flow after exposure. CO and SO2 effects on students' peak flow were not statistically significant. O3 showed a protective result: an increase in 10 µg/m³ of O3 would be associated, after a day of exposure, with a 0.2 l/min increase in mean lung function. CONCLUSIONS: Even within acceptable levels most of the time, air pollution, especially PM10 and NO2, was associated with a decrease in lung function in children living in the city of Rio de Janeiro.
Keywords: Air Pollution
Adverse Effects
Child
Respiratory Function Tests
Inhalation Exposure
Respiratory Tract Diseases
Prevention & Control
keywords: Poluição do Ar
Efeitos Adversos
Criança
Testes de Função Respiratória
Exposição por Inalação
Doenças Respiratórias
Prevenção & Controle
DeCS: Poluição do Ar
Criança
Testes de Função Respiratória
Exposição por Inalação
Doenças Respiratórias
/prevenção & controle
Issue Date: 2009
Publisher: USP
Citation: CASTRO, Hermano Albuquerque de et al. Efeitos da poluição do ar na função respiratória de escolares, Rio de Janeiro, RJ. Rev. Saúde Pública, v.43, n.1, p.26-34, 2009
DOI: 10.1590/S0034-89102009000100004
ISSN: 0034-8910
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EfeitosPoluição.pdf139.29 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.