Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/27916
Title: Acesso às intervenções para prevenção da transmissão Vertical do HIV e fatores associados ao uso insuficiente de antirretrovirais numa coorte de gestantes com HIV/AIDS na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro
Advisor: Camacho, Luiz Antonio Bastos
Grinsztejn, Beatriz Gilda Jegerhorn
Authors: Araujo, Elaine da Silva Pires
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Desde 1994 sabe-se que a trans missão do HIV da mãe para o filho pode ser evitada através do uso de um pacote de intervenções que inclui uso de antirretrovirais durante a gravidez, o parto e as primeiras semanas de vida do recém-nato e o não aleitamento materno. A taxa de transmissão ve rtical do HIV varia nas diferentes regiões geográficas do mundo, dependendo da abrangência da implementação dos procedimentos profiláticos. No Brasil tanto o acesso à profilaxia quanto a taxa de transmissão vertical são maiores nas regiões mais pobres do país, contribuindo para que o país ainda tenha crianças infectadas por essa via. Esse é um estudo de coorte retrospectivo, realizado no período de 1999 a 2009 no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) , na Baixada Fluminense, estado do Rio de Janeiro, com os o bjetivos de descrever o acesso às intervenções recomendadas para a profilaxia da transmissão vertical do HIV-1 e as taxas de transmissão vertical do HIV em gestantes infectadas pelo HIV assistidas no HGNI; e de analisar os fatores associados ao uso insuficiente de antirretrovirais durante a gestação na população estudada. A população estudada é jovem, com renda familiar mensal e escolaridade baixas. Considerando o total de gestações (n=1259), o acesso ao componente antenatal do esquema profilático ocorreu em 59,1% dos casos, o uso de ZDV IV durante o parto em 74,1% e o uso de ARV oral para o recém-nato ( RN ) em 97,5% Durante a permanência na maternidade 91,0% dos RN não receberam aleitamento materno. Apenas 51,3% dos recém-nascidos se beneficiaram de todas as intervenções recomendadas. Nas gestações subsequentes (n=289) 26,6 % dos RN não receberam o pacote completo de intervenções profiláticas. A taxa global de transmissão vertical do HIV foi de 4,5 % e as taxas anuais de 0% (em 1999) a 6,9 % (em 2005), sem tendência definida no período. Mesmo no subgrupo que possui diagnóstico de infecção por HIV anteri or ao parto, 20,7% não usou ARV e 4,4% usou por período inferior a 14 dias. Dentre os fatores analisados, o desconhecimento da sorologia do parceiro e o diagnóstico tardio de infecção por HIV foram associados ao uso insuficiente de ARV. Conclui-se que o acesso ao pacote completo de intervenções para profilaxia da transmissão vertical do HIV foi baixo, não se observando tendência de melhora ao longo dos anos. As taxas de transmissão vertical observadas foram maiores que as encontradas em serviços de referência do município do Rio de Janeiro e de regiões mais ricas do país. O uso insuficiente de ARV na gestação está associado à dificuldade de acesso aos serviços especializados, em parte pelo diagnóstico tardio, e ao perfil de vulnerabilidade de parte da população, que demanda intervenções adicionais para promover melhor adesão ao acompanhamento necessário para a redução da transmissão vertical
Abstract: Since 1994 it is known that mother-to-child transmission of HIV may be avoided by a package of interventions that includes antiretroviral therapy during pregnancy, labor and to the newborn, during the first weeks of life, and avoidance of breastfeeding. Rates of mother-to-child transmission of HIV differ at different regions worldwide, depending on the reach of prophylactic procedures implementations. Brazil has different access to prophylaxis and vertical transmission rates are higher at poorest regions, contribuiting to infected children from this way countrywide. This is a retrospective cohort study, from 1999 to 2009 at Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI), located at Baixada Fluminense, a poor region in Rio de Janeiro, with the aim to describe the access to interventions recommended to prevent mother-to-child transmission of HIV-1 and vertical transmission by HIV-1 pregnant women assisted at HGNI; and evaluate factors related to insufficient antiretroviral receiving during pregnancy in this population. The cohort is composed by young women with low income and schooling. Considering all pregnancies at the cohort (n = 1259), 59,1% of pregnancies had access to the antenatal prophylaxis, 74,1% used intravenous zidovudine during labor and 97,5% newborns received oral antiretroviral therapy Breastfeeding was avoided by 91,0% while at maternity. All the interventions recommended were provided to 51,3% of the newborns. At following (or subsequent) pregnancies (n = 289) 26,6% of newborns did not receive the whole package of prophylatic interventions. The global rate of vertical transmission was 4,5% and the rates varied from 0.0% (1999) to 6.9% (2005), without trends through the period. Even among pregnant women who had already been diagnosed before labor, 20.7% did not take ART and 4.4% took it for less than 14 days. Among factors analysed, not knowing partner HIV status and late diagnosis of HIV were related to insufficient use of antiretroviral therapy. We conclude that the access to all the interventions to prevent mother-to-child transmission of HIV was low, without trends over the time to improve it. Mother-to-child transmission rates were higher than that found at reference sites from Rio de Janeiro city and richest regions from this country. The insufficient use of ART during pregnancy was related to barriers to access to reference services, partially because of late diagnosis and vulnerability of part of this population, demanding additional interventions to promote better adherence to follow-up necessary to decrease vertical transmission of HIV
keywords: HIV
Gravidez
Terapia Antirretroviral De Alta Atividade
Issue Date: 2011
Citation: ARAUJO, Elaine da Silva Pires. Acesso às intervenções para prevenção da transmissão Vertical do HIV e fatores associados ao uso insuficiente de antirretrovirais numa coorte de gestantes com HIV/AIDS na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. 2011. 97f. Tese (Doutorado em pesquisa clínica em doenças infecciosas)-Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2011.
Date of defense: 2011
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - PCDI - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
elaine_araujo_ipec_dout_2011.pdf1.45 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.