Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/28759
Title: Estudo comparativo da virulência entre isolados de sporothrix schenckii provenientes de gatos com esporotricose naturalmente adquirida
Advisor: Schubach, Tânia Maria Pacheco
Borba, Cíntia de Moraes
Members of the board: Schubach, Tânia Maria Pacheco
Wanke, Bodo
Loureiro y Penha, Carla Verônica
Barros, Mônica Bastos de Lima
Authors: Leme, Luiz Rodrigo Paes
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: A esporotricose é causada pelo fungo dimórfico Sporothrix schenckii. A infecção ocorre pela inoculação traumática de materiais contaminados com o fungo, acometendo principalmente pessoas em contato com o solo e vegetais. Em 1952, Singer & Muncie sugeriram pela primeira vez a possível transmissão da esporotricose felina ao homem. A partir de 1998 uma epidemia de esporotricose vem sendo acompanhada no Rio de Janeiro, em que o gato possui papel fundamental na sua transmissão. O presente estudo objetivou comparar a virulência, através de infecção experimental em camundongos BALB/c, de três isolados de S. schenckii do Estado do Rio de Janeiro com quatro do Rio Grande do Sul, todos provenientes de gatos com esporotricose e múltiplas lesões cutâneas. Durante 104 dias de inoculação, foram avaliados: sinais clínicos, sobrevivência, peso, contagem de unidades formadoras de colônias (UFC) do baço, índice esplênico, e histopatologia de fígado e pulmões dos camundongos infectados com os sete isolados. Um outro grupo inoculado com solução salina tamponada com fosfato utilizado como controle. De acordo com estes parâmetros, os isolados I - RS e III - RS foram os menos virulentos, com maior sobrevivência, menor contagem de UFC e índice esplênico. Resultados similares e alternados, nos parâmetros avaliados, foram verificados nos isolados II - RS, IV - RS, VI - RJ e VIII - RJ, colocando-os em posição de virulência intermediária. Avaliando os camundongos inoculados com o isolado VII - RJ, foram observadas a maior média total de UFC, a menor sobrevivência e a segunda maior perda de peso, parâmetros esses que o identificam como o isolado de maior virulência. Dividindo os isolados em dois grupos, do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, o número total de células recuperadas foi significativamente mais baixo (P<0,05) para o grupo do Rio Grande do Sul Concluímos que isolados de S. schenckii provenientes de gatos com a mesma apresentação clínica e de diferentes regiões geográficas apresentaram diferentes perfis de virulência
Abstract: Sporotrichosis is caused by the dimorphic fungus Sporothrix schenckii. The infection occurs by traumatic inoculation of materials contaminated with the fungus, attacking mainly persons in contact with soil and vegetables. In 1952, Singer & Muncie suggested, for the first time, the possible transmission of feline sporotrichosis to the man. Since 1998 a sporotrichosis epidemic has been identified in Rio de Janeiro, in which the cat plays a fundamental part in the transmission of this mycosis. The objective of the study was to compare the virulence, through experimental infection in BALB/c mice, of three strains of S. schenckii from Rio de Janeiro with four from Rio Grande do Sul, all proceeding from cats with sporotrichosis with widespread cutaneous lesions. During 104 days of inoculation, we evaluated: clinical signs, survival, weight, colony forming units counting (CFU) from spleen, splenic index, and histopathology of liver and lungs from infected mice with the seven strains Another group was inoculated with phosphate buffered saline used as control. In accordance with these parameters, the strains I - RS and III - RS present lower virulence, with longer survival, lower CFU counting and splenic index. Similar and alternated results in the evaluated parameters were verified in strains II - RS, IV - RS, VI \2013 RJ and VIII \2013 RJ, placing them on an intermediate position. Evaluating the mice inoculated with strain VII - RJ, they had the total highest average of CFU, lower survival and the biggest value of weight loss, parameters that identify it as the most virulent strain. Dividing the strains into two groups, from Rio Grande do Sul and from the Rio de Janeiro, the total number of recovered cells was significantly lower (P < 0,05) for the group from Rio Grande do Sul. We conclude that strains of S. schenckii proceeding from cats with the same clinical presentation and from different geographic regions presented different profiles of virulence
keywords: Epidemias
Sporothrix
Esporotricose
Virulência
Issue Date: 2007
Citation: LEME, Luiz Rodrigo Paes. Estudo comparativo da virulência entre isolados de sporothrix schenckii provenientes de gatos com esporotricose naturalmente adquirida. 2007. x, 58f.il., graf. tab.30 cm. Dissertação (Mestrado em pesquisa clínica em doenças infecciosas)-Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2007.
Date of defense: 2007
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas
Program: Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Copyright: restricted access
Appears in Collections:INI - PCDI - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
luiz_leme_ipec_mest_2007.pdf1.77 MBAdobe PDF    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.