Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/30542
Title: Análise do paradigma dominante nas questões de Saúde Mental dos Inquéritos Nacionais de Saúde no Brasil
Advisor: Romero Montilla, Dalia Elena
Freitas, Fernando Ferreira Pinto de
Authors: Santos, Pâmella Caroline Vieira
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: A preocupação com os casos de depressão, em paralelo com o uso de drogas psiquiátricas tem crescido vertiginosamente nas últimas décadas, tornando a depressão uma das principais preocupações dos Sistemas de Saúde. O termo epidemia de depressão é cada vez mais utilizado para designar esse fenômeno. Entretanto, pesquisas robustas sugerem que esse fenômeno possa ser uma consequência do modelo dominante de abordagem em Saúde Mental, o modelo biomédico em psiquiatria, que converte experiências de sofrimento comuns a vida em transtornos, sem o aprofundamento nas causas que levaram a esse sofrimento, inflacionando a demanda por assistência e o uso de drogas psiquiátricas. Esse modelo é reproduzido por diferentes fontes de informação, e os Inquéritos Nacionais é um deles. Sabe-se que a produção de informações atende a demandas e necessidades construídas, que irão reproduzir e sustentar o paradigma dominante como conhecimento. Constitui-se assim um círculo fechado de produção de dados, conhecimento, evidencias científicas que demandam outros dados, que demandam intervenções e assim sucessivamente. Diante disso, cabe questionar que tipo de dados, informações e conhecimentos são produzidos em Saúde Mental nos Inquéritos de Saúde e qual o paradigma orienta a construção desses Inquéritos. Esta pesquisa trata de analisar uma das fontes de informação mais relevantes para o estudo de questões epidemiológicas e seus determinantes: Os Inquéritos Populacionais em Saúde. Especificamente, analisase o tipo de modelo de abordagem presente nos Suplementos de Saúde das Pesquisas Nacional de Amostra por Domicílio e na Pesquisa Nacional de Saúde. Estuda-se a Política Nacional em Saúde mental, sua demanda de dados e presença/ausência nos Inquéritos em Saúde. O estudo é de base qualitativa já que seu objetivo é analisar as perguntas desde a perspectiva da Sociologia das Estatísticas.
Abstract: Concern about cases of depression in parallel with psychiatric drug use has skyrocketed in recent decades, making depression one of the major concerns of health systems. The term epidemic of depression is increasingly used to designate this phenomenon. However, robust research suggests that this phenomenon may be a consequence of the dominant model of approach in Mental Health, the biomedical model, that converts common suffering experiences to life in disorders, without deepening the causes that lead to this suffering, inflating the demand for assistance and the use of psychiatric drugs. This model is reproduced by different sources of information, and the National Surveys is one of them. It is known that the production of information meets the demands and needs built, which will reproduce and sustain the dominant paradigm as knowledge. It is thus a closed circle of data production, knowledge, scientific evidence that requires other data, which require interventions and so on. Given this, it is necessary to question what type of data, information and knowledge are produced in Mental Health in Health Surveys and what the paradigm guides the construction of these Inquiries. This research seeks to analyze one of the most relevant sources of information for the study of epidemiological issues and their determinants: Population Health Surveys. Specifically, the type of approach model presented in the Health Supplements of the National Sample Surveys by Domicile and in the National Health Survey. The National Policy on Mental Health, its data demand and presence / absence in Health Surveys is studied. The study is qualitative since its objective is to analyze the questions from the perspective of Sociology of Statistics.
Keywords: Pesquisa Nacional de Saúde
Sociology of Statistics
National Health Surveys
National Health Survey
Mental health
Depression
keywords: Saúde Mental
Inquéritos Epidemiológicos
Sociologia Médica
Depressão
Sociologia das Estatísticas
Inquéritos Nacionais de Saúde
Issue Date: 2018
Citation: SANTOS, Pâmella Caroline Vieira. Análise do paradigma dominante nas questões de Saúde Mental dos Inquéritos Nacionais de Saúde no Brasil. 2018. 91 f. Dissertação (Mestrado em Informação e Comunicação em Saúde)-Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2018.
Date of defense: 2018
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde
Copyright: open access
Appears in Collections:ICICT - PPGICS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
pamella_santos_icict_mest_2018.pdf2.68 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.