Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/30808
Title: Fatores associados à distribuição epidemiológica e espacial das notificações de leishmaniose visceral, Brasil, 2001 a 2014
Advisor: Gonçalves, Maria Jacirema Ferreira
Members of the board: Guerra, Jorge Augusto de Oliveira
Oliveira, Jorge Augusto de
Authors: Reis, Lisiane Lappe dos
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Leônidas e Maria Deane. Laboratório Diversidade Microbiana da Amazônia com Importância para a Saúde. Manaus, AM, Brasil.
Abstract: Introdução. A leishmaniose visceral(LV) é uma doença negligenciada em expansão territorial e com diferenças regionais no Brasil, caracterizada por mudanças epidemiológicas que necessitam ser exploradas. Este trabalho objetiva descrever a distribuição epidemiológica, espacial e temporal das notificações de leishmaniose visceral no Brasil, identificando diferenças entre os períodos 2001 a 2006 e 2007 a 2014 e correlacionar fatores ambientais e climáticos com a taxa de incidência de LV no estado de Tocantins, maior incidência de LV no país no período do estudo. Métodos. Análise das notificações de LV e taxas de incidência agrupadas nos períodos 2001-2006 e 2007-2014, por estados, regiões e municípios do Brasil. Dados sociodemográficos, clínicos e evolução dos casos foram analisados no conjunto dos apresentados pelo número e percentual. A distribuição espacial da taxa é analisada por município, com identificação de mudanças no padrão espacial e temporal. No estado do Tocantins, a taxa de incidência de LV e as variáveis urbanização, elevação, precipitação, umidade, Enhanced Vegetation Index (EVI) e temperatura foram analisadas descritivamente, por meio da média e desvio padrão. A normalidade foi testada utilizando o teste de Shapiro-Wilk e a correlação, por meio do teste de Spearman. A tendência linear, entre as médias das variáveis, em cada categoria de taxa, foi avaliada pela Análise de Variância (ANOVA). Resultados. Foram notificados 47859 casos de LV entre 2001 e 2014 no Brasil, com predomínio na macrorregião Nordeste, a única a apresentar diminuição da taxa. O estado de Tocantins apresenta maior taxa bruta de incidência, o que aumentou a LV na macrorregião Norte. A LV predomina no sexo masculino, em menores de 4 anos e na zona urbana, porém houve aumento nos adultos maiores de 40 anos. A expansão territorial foi verificada no mapeamento, com casos humanos e caninos autóctones e com o registro do vetor no estado; e a distribuição temporal mostra estabilidade no Brasil, com diferenças regionais. Na análise no estado de Tocantins, foi identificada correlação da taxa de incidência de LV com variáveis climáticas e ambientais, cuja tendência é linear e significativa. Ocorre aumento nas taxas de incidência, na medida em que aumentam os valores de precipitação anual, umidade, Enhanced Vegetation Index (EVI) e temperatura mínima. Por sua vez, essa relação é inversa para a elevação, em que nos municípios com altitudes mais baixas houve registro de mais incidência de LV. Conclusões. A LV está em expansão no Brasil, predominando na zona urbana em menores de 4 anos, embora ocorra aumento em maiores de 40 anos. Além de Tocantins com as maiores taxas, destacam-se novos focos na macrorregião Sul e leve decréscimo no Nordeste. A LV é uma doença influenciada por variáveis climáticas e ambientais, as quais podem proporcionar condições ideais de desenvolvimento do vetor. O estado de Tocantins apresenta-se como um misto entre as regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil, cujos biomas diferenciados contribuem para doença nesse estado.
Abstract: Introduction. Visceral leishmaniasis (VL) is a neglected disease with territorial expansion and regional differences in Brazil, characterized by epidemiological changes that need to be explored. This paper aims to describe the epidemiological, spatial and temporal distribution of visceral leishmaniasis in Brazil, identifying differences between 2001 to 2006 and 2007 to 2014 and correlating environmental and climatic factors with the incidence rate of VL in the State of Tocantins, higher incidence of VL in the country during the study period. Methods. Analysis of VL notifications and incidence rates grouped in the periods 2001-2006 and 2007- 2014, by states, regions and municipalities of Brazil. Sociodemographic, clinical data and case evolution were analyzed across the two time periods and presented by number and percentage. The spatial distribution of VL was evaluated by mapping incidence rates per municipality and comparing distributions between the periods 2001-2006 and 2007-2014. The VL incidence rate of the municipalities of Tocantins State and the variables urbanization, elevation, precipitation, humidity, Enhanced Vegetation Index (EVI) and temperature were analyzed descriptively by the mean and standard deviation. Normality was tested using the Shapiro-Wilk test and correlation using the Spearman test. The linear trend, among the means of the variables, in each rate category was evaluated by Analysis of Variance (ANOVA). Results. From 2001 to 2014, 47,859 cases of VL were reported in Brazil, with a predominance in Northeast macro-region, the only one that presented a decrease in the rate. The state of Tocantins presented the higher crude incidence rate, which increased VL in the North macro-region. LV predominates in males, under 4 years and in the urban zone, but there was an increase in adults older than 40. The territorial expansion was verified in the mapping, with autochthonous human and canine cases and with the registration of the vector in the state; and the temporal distribution shows stability in Brazil, with regional differences. In the analysis in the state of Tocantins, a correlation of the incidence rate of VL was identified with climatic and environmental variables, whose trend is linear and significant. There is an increase in the incidence rates, as values of the annual precipitation, humidity, Enhanced Vegetation Index (EVI) and minimum temperature, increase. In turn, this relationship is inversely related to the elevation, in which, in the municipalities with lower altitudes, there was a higher incidence of VL. Conclusions. VL is expanding in Brazil, predominating in the urban zone and in children under 4 years, although there is an increase in people older than 40 years. In addition to Tocantins with the highest rates, there are new outbreaks in the South macro-region and slight decrease in the Northeast. VL is a disease influenced by climatic and environmental variables, which may provide ideal conditions for vector development. The State of Tocantins presents itself as a mixture between the North and Central-West regions of Brazil, whose differentiated biomes contribute to disease in this state.
Keywords: Visceral leishmaniasis
Epidemiology
Spatial distribution
Environmental factors
Visceral leishmaniasis
Epidemiology
Spatial distribution
Expansion of the disease
Information systems
Climatic factors
Environmental factors
keywords: Leishmaniose visceral
Epidemiologia
Distribuição espacial
Fatores ambientais
Leishmaniose visceral
Epidemiologia
Distribuição espacial
Expansão da doença
Sistemas de informação
Fatores climáticos
Fatores ambientais
Issue Date: 2017
Citation: REIS, Lisiane Lappe dos. Fatores associados à distribuição epidemiológica e espacial das notificações de leishmaniose visceral, Brasil, 2001 a 2014. 2017. 80 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Instituto Leônidas e Maria Deane, Fundação Oswaldo Cruz, Manaus, 2017.
Date of defense: 2017-08-29
Place of defense: Manaus, AM
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Leônidas e Maria Deane.
Program: Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia
Copyright: open access
Appears in Collections:AM - ILMD - PPGVIDA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Lisiane Lappe dos Reis.pdf2.91 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.