Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/31995
Title: Yellow fever virus is susceptible to sofosbuvir both in vitro and in vivo
Authors: Freitas, Caroline S. de
Higa, Luiza M.
Sacramento, Carolina Q.
Ferreira, André C.
Reis, Patrícia A.
Delvecchio, Rodrigo
Monteiro, Fabio L.
Barbosa-Lima, Giselle
Westgarth, Harrison James
Vieira, Yasmine Rangel
Mattos, Mayara
Rocha, Natasha
Hoelz, Lucas Villas Bôas
Leme, Rennan Papaleo Paes
Bastos, Mônica M.
Rodrigues, Gisele Olinto L.
Lopes, Carla Elizabeth M.
Queiroz-Junior, Celso Martins
Lima, Cristiano X.
Costa, Vivian V.
Teixeira, Mauro M.
Bozza, Fernando A.
Bozza, Patrícia T.
Boechat, Nubia
Tanuri, Amilcar
Souza, Thiago Moreno L.
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Laboratório de Virologia Molecular. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Laboratório de Virologia Molecular. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Laboratório de Virologia Molecular. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Laboratório de Virologia Molecular. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz.Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Tecnologia de Fármacos. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Tecnologia de Fármacos. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Tecnologia de Fármacos. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Center for Research and Development of Pharmaceuticals. Institute of Biological Sciences. Belo Horizonte, MG, Brazil / Universidade Federal de Minas Gerais. Institute of Biological Sciences. Department of Morphology. Research Group in Arboviral Diseases. Belo Horizonte, MG, Brazil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Center for Research and Development of Pharmaceuticals. Institute of Biological Sciences. Belo Horizonte, MG, Brazil / Universidade Federal de Minas Gerais. Institute of Biological Sciences. Department of Morphology. Research Group in Arboviral Diseases. Belo Horizonte, MG, Brazil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Institute of Biological Sciences. Department of Morphology. Cardiac Lab. Belo Horizonte, MG, Brazil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Departamento de Cirurgia. Belo Horizonte, MG, Brasil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Center for Research and Development of Pharmaceuticals. Institute of Biological Sciences. Belo Horizonte, MG, Brazil / Universidade Federal de Minas Gerais. Institute of Biological Sciences. Department of Morphology. Research Group in Arboviral Diseases. Belo Horizonte, MG, Brazil.
Universidade Federal de Minas Gerais. Center for Research and Development of Pharmaceuticals. Institute of Biological Sciences. Belo Horizonte, MG, Brazil / Universidade Federal de Minas Gerais. Institute of Biological Sciences. Immunopharmacology Lab .Department of Biochemistry and Immunology. Minas Gerais, Brazil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Tecnologia de Fármacos. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Laboratório de Virologia Molecular. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Imunofarmacologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Inovação em Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Yellow fever virus (YFV) is a member of the Flaviviridae family. In Brazil, yellow fever (YF) cases have increased dramatically in sylvatic areas neighboring urban zones in the last few years. Because of the high lethality rates associated with infection and absence of any antiviral treatments, it is essential to identify therapeutic options to respond to YFV outbreaks. Repurposing of clinically approved drugs represents the fastest alternative to discover antivirals for public health emergencies. Other Flaviviruses, such as Zika (ZIKV) and dengue (DENV) viruses, are susceptible to sofosbuvir, a clinically approved drug against hepatitis C virus (HCV). Our data showed that sofosbuvir docks onto YFV RNA polymerase using conserved amino acid residues for nucleotide binding. This drug inhibited the replication of both vaccine and wild-type strains of YFV on human hepatoma cells, with EC50 values around 5 μM. Sofosbuvir protected YFV-infected neonatal Swiss mice and adult type I interferon receptor knockout mice (A129-/-) from mortality and weight loss. Because of its safety profile in humans and significant antiviral effects in vitro and in mice, Sofosbuvir may represent a novel therapeutic option for the treatment of YF.
Keywords: Yellow fever
Antiviral
Issue Date: 2019
Publisher: Public Library of Science
Citation: FREITAS, Caroline S. de et al. Yellow fever virus is susceptible to sofosbuvir both in vitro and in vivo. Plos Neglected Tropical Diseases, p. 1-22, 30 Jan. 2019.
DOI: 10.1371/journal.pntd.0007072
ISSN: 1935-2727
Copyright: open access
Appears in Collections:Farmanguinhos - Artigos de Periódicos
CDTS - Artigos de Periódicos
IOC - Artigos de Periódicos
INI - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ve_Freitas_Caroline_etal_INI_2019.pdf3.11 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.