Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/32987
Title: Saúde como prática da liberdade: as práticas de famílias em um acampamento do MST e o desenvolvimento de estratégias de educação popular em saúde
Other Titles: Health as practice of the freedom: the practices of families in a camping of the Landless Movement MST and the development of strategies of popular education in health
Advisor: Schall, Virgínia Torres
Alves, Tânia Maria de Almeida
Members of the board: Schall, Virgínia Torres
Fernandes, Tânia Maria
Coelho, France Maria Gontijo
Authors: Gaia, Marília Carla de Mello
Coadvisor: Alves, Tânia Maria de Almeida
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil.
Abstract: As famílias do Acampamento Padre Gino (Frei Inocêncio MG), participantes do MST, lutam por saúde e qualidade de vida através da adoção de algumas práticas complementares afim de alcançarem a (saúde para todos), preconizada pela OMS. O objetivo deste trabalho foi conhecer e discutir tais práticas de saúde, bem como seu contexto e relação com os serviços oficiais de saúde, a fim de desenvolver estratégias de educação popular e motivar a discussão das políticas públicas. Esta pesquisa envolveu os métodos da educação popular e utilizou observação participante, questionário e entrevista. Durante a vivência no Acampamento, 38 famílias responderam a um questionário e 12 informantes-chave foram entrevistados. Entre as famílias, além da utilização dos serviços públicos de saúde, é comum o uso de práticas complementares (plantas medicinais, bioenergética, argila, orações, benzeções e alimentação adequada), havendo um sincretismo harmonioso entre diferentes racionalidades em saúde.Esta utilização é ora uma opção pessoal (resolução dos problemas simples, preferência, praticidade, tradição familiar, etc.) e ora uma imposição social (dificuldade financeira e/ou de acesso aos serviços oficiais), variando com a especificidade do momento ou do problema. Cem plantas foram apontadas como utilizadas para a busca e manutenção da saúde e, destas, 70 foram identificadas. Dentre as 70, 42 estão em consonância com a literatura sobre os usos populares e apenas 8 estão com ação cientificamente comprovadas. Plantas e receitas são trocadas na comunidade, ajudando a reforçar os laços sociais e a rede de apoio social. Fatores como a fé religiosa e a associação de saúde como capacidade para trabalhar também se fizeram presentes. A conquista definitiva da terra é percebida pelas famílias como capaz de melhorar a atual situação de saúde. Após a vivência, dois materiais educativos foram elaborados na tentativa de estimular um diálogo entre os saberes popular e científico.
Abstract: The families of the Padre Gino Camping (Frei Inocêncio- MG), participants of the MST, fight for health and quality of life through the adoption of some complementary practices in search of “health for all”, a goal established by WHO. The objective of this study was to get familiar with these health practices, as well as to discuss their context and their relation to official health services, in order to develop strategies of popular education and to motivate a discussion on public policies. The present research included methods of popular education and used participant observation, questionnaire and interviews. During the Camping experience, 38 families answered a questionnaire and 12 key-informants were interviewed. The use of complementary health practices (such as medicinal plants, bioenergetics, clay, prayers, “benzeções”, and specific foods), besides the use of public health services, are common among families, in a harmonious syncretism among the different rationalities in health. Such adoption of complementary health practices is either a personal choice (solving simple problems, preferences, practicality, family tradition, etc.) or a social demand (money problems and/or difficulties of access to official services), according to the specificity of the moment or the problem. A hundred plants were pointed out as being used for the search or the maintaining of health, and 70 among them were identified. Among the 70, 42 are in accordance with the literature about the popular use of plants, while only 8 have their effects scientifically proved. Plants and receipts are exchanged in the community, enhancing social links as well as the social support network. Some factors as religious faith and the health association to work capacity are also present. The families perceive the ownership of land as a factor related to health condition improvement. Two educative materials were elaborated as a consequence of the living experience in an attempt to stimulate a dialogue between popular and scientific knowledge.
Keywords: Complementary Practices in Health
Popular Education in Health
keywords: Práticas Complementares de Saúde
Educação Popular em Saúde
DeCS: Saúde rural
Família
Issue Date: 2005
Citation: GAIA, Marília Carla de Mello. Saúde como prática da liberdade: as práticas de famílias em um acampamento do MST e o desenvolvimento de estratégias de educação popular em saúde. 2005. 179 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Centro de Pesquisas René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz, Belo Horizonte, 2005.
Date of defense: 2005
Place of defense: Belo Horizonte
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Casa de Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, MG, Brasil
Program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Copyright: open access
Appears in Collections:MG - IRR - PPGCS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
marilia_carla_mello.pdf10.68 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.