Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34007
Title: Ocorrência de hiperpotassemia em portadores de insuficiência cardiaca classes funcionais III e IV em uso de inibidores da enzima de conversão da angiotensina associada ou não a espironolactona
Advisor: Souza, Carlos A. Marcílio de
Members of the board: Guimarães, Armênio da Costa
Burdmann, Emmanuel
Arruda, Sérgio Marcos
Authors: Cruz, Constança Sampaio
Affilliation: Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Medicina. Salvador, BA, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, BA, Brasil.
Abstract: Ensaios clínicos randomizados inclusive o The Randomized Aldactone Evaluation Study (RALES), vêm preconizando a associação de inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECAs) e espironolactona (SLN), entre outras drogas, para o tratamento da insuficiência cardíaca demonstrando queda na mortalidade global para o grupo que usou espironolactona quando comparado ao uso de placebo. Apesar da ocorrência de hiperpotassemia ter sido baixa nestes estudos, há diversos relatos de ocorrência de hiperpotassemia severa na literatura quando tais drogas são associadas. Conduzimos um estudo de coorte retrospectivo através de amostragem consecutiva de portadores de insuficiência cardíaca internados no Hospital Santo Antonio, Salvador, Bahia, Brasil, entre março de 1999 a março de 2000. Analisamos os seus prontuários durante o período de 30 dias de internação, registrando o potássio sérico pré e pós-exposição a diferentes esquemas terapêuticos até o desenvolvimento de um dos seguintes desfechos: hiperpotassemia, alta ou óbito. Hiperpotassemia ocorreu em 32,65% dos pacientes que fizeram uso da associação IECA e espironolactona independentemente do uso de outras drogas (16 casos de hiperpotassemia em um total de 49 pacientes) versus 2,0% dos pacientes que fizeram uso de IECA sem espironolactona independentemente de outras drogas (01 caso de , hiperpotassemia em um total de 51 pacientes) O odds ratio de desenvolvimento de hiperpotassemia quando comparados os pacientes que usaram IECA e espironolactona versus IECA sem espironolactona foi de 24,24, (1 C 95% 3,07 a 191,65) pacientes que usaram a associação IECA e espuronolactona independentemente de outras drogas para tratamento de insuficiência cardíaca estiveram sob maior risco de desenvolver hiperpotassemia do que os pacientes que usaram IECA sem espironolactona (odds ratio = 24,24; I.C. 95%: 3,07 a 191,65).
Keywords: Hyperkalemia
Spironolactone
Angiotensin-Converting Enzyme Inhibitors
Congestive Heart Failure
keywords: Hiperpotassemia
Espironolactona
Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina
Insuficiência Cardíaca Congestiva
Issue Date: 2002
Publisher: Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Citation: CRUZ, Constança M. Sampaio. Ocorrência de hiperpotassemia em portadores de insuficiência cardiaca classes funcionais III e IV em uso de inibidores da enzima de conversão da angiotensina associada ou não a espironolactona. 2002. 193 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Interna) - Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Medicina; Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz, Fundação Oswaldo Cruz, Salvador, 2002.
Date of defense: 2002
Place of defense: Salvador/BA
Department: Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Defense institution: Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz
Program: Pós-Graduação em Medicina Interna
Copyright: open access
Appears in Collections:BA - IGM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Constanca M Sampaio Cruz Ocorrência...2002.pdf26.16 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.