Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/35532
Title: Mamíferos do Parque Nacional da Serra dos Órgãos: atualização da lista de espécies e implicações para a conservação
Authors: Cronemberger, Cecilia
Delciellos, Ana Cláudia
Barros, Camila dos Santos de
Gentile, Rosana
Weksler, Marcelo
Braz, Alan Gerhardt
Teixeira, Bernardo Rodrigues
Loretto, Diogo
Vilar, Emmanuel Messias
Pereira, Fabiane Aguiar
Santos, Jayme Roberto Cirilo dos
Geise, Lena
Pereira, Luciana Guedes
Aguieiras, Marcia
Vieira, Marcus Vinicius
Estrela, Pedro Cordeiro
Junger, Raquel Batista
Honorato, Reginaldo dos Santos
Moratelli, Ricardo
Vilela, Roberto do Val
Guimarães, Roger Rodrigues
Cerqueira, Rui
Costa Neto, Sócrates Fraga da
Cardoso, Thiago dos Santos
Nascimento, Jorge Luiz do
Affilliation: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Parque Nacional da Serra dos Órgãos Teresópolis, RJ, Brasil / Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Departamento de Ecologia. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Evolução. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Silvestres Reservatórios. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional. Departamento de Vertebrados. Seção de Mastozoologia. Programa de Pós-graduação em Zoologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Silvestres Reservatórios. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Silvestres Reservatórios. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Sistemática e Ecologia. Laboratório de Mamíferos. Programa de Pós- Graduação em Ciências Biológicas. Joâo Pessoa, PB, Brasil.
nstituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Parque Nacional da Serra dos Órgãos Teresópolis, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Departamento de Zoologia. Laboratório de Mastozoologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Departamento de Zoologia. Laboratório de Mastozoologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Biologia. Departamento de Zoologia. Laboratório de Mastozoologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Sistemática e Ecologia. Laboratório de Mamíferos. Programa de Pós- Graduação em Ciências Biológicas. João Pessoa, PB, Brasil.
Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Parque Nacional da Serra dos Órgãos Teresópolis, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Campus Fiocruz Mata Atlântica. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Silvestres Reservatórios. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Ciências Biológicas. Laboratório de Mastozoologia e Biogeografia. Vitória, ES, Brasil.
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Ecologia,. Laboratório de Vertebrados. Programa de Pós-graduação em Ecologia. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Campus Fiocruz Mata Atlântica. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Saúde. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Departamento de Parasitologia Animal. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Seropédica, RJ, Brasil.
Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Parque Nacional da Serra dos Órgãos Teresópolis, RJ, Brasil.
Abstract: A lista mais recente dos mamíferos que ocorrem no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), com 79 registros, consta no seu segundo Plano de Manejo, publicado em 2008. O presente estudo teve como objetivo atualizar a lista de espécies de mamíferos do PARNASO, inserindo novos registros de espécies obtidos através de dados primários e revisão bibliográfica, considerando o período de 2002 a 2018. A revisão da lista do Plano de Manejo resultou em 75 registros válidos. Destes, três espécies foram consideradas localmente extintas (Panthera onca, Tayassu pecari e Tapirus terrestris) e não foram incluídas na presente lista. Desse modo, listamos aqui 100 espécies com registros recentes no PARNASO, o que representa um acréscimo de 28 espécies. As ordens com maior riqueza de espécies foram Rodentia e Chiroptera, com 32 e 23 espécies, respectivamente. Das espécies registradas, quatro são invasoras (Callithrix jacchus, C. penicillata, Rattus norvegicus e R. rattus), três são domésticas (Bos taurus, Canis familiaris e Felis catus), e 26 são ameaçadas de extinção. A análise da distribuição espacial da riqueza de espécies mostrou que apenas metade da área do parque possui ao menos um registro, e que os registros estão concentrados onde há infraestrutura para a pesquisa. A presença de espécies domésticas e invasoras, bem como as extinções locais detectadas, indicam a necessidade de ações de manejo no interior do parque. Esse grande acréscimo de espécies à lista evidencia o desenvolvimento da pesquisa com mamíferos nesta Unidade de Conservação e a necessidade de compilações mais frequentes dos resultados devido aos vários projetos em curso. O PARNASO tem papel de destaque na conservação de mamíferos ao ainda manter uma das maiores riquezas de espécies do Estado do Rio de Janeiro, e grande importância para a pesquisa, abrigando uma ampla gama de estudos e projetos de longa duração.
Abstract: The most recent list of mammals of the Serra dos Órgãos National Park (PARNASO) with 79 records is from its second Management Plan published in 2008. The present study aimed to update the list of mammal species of PARNASO, adding new species records obtained from primary data and bibliographic review, in the period between 2002 and 2018. The review of the Management Plan’s species list resulted in 75 currently valid records. Three of these 75 species were considered locally extinct (Panthera onca, Tayassu pecari and Tapirus terrestris) and were not included in the present list. Thus, we list 100 species with recent records in PARNASO, which represents an increase of 28 species. The orders with higher species richness were Rodentia and Chiroptera, with 32 and 23 species, respectively. Among the species recorded, four are invasive (Callithrix jacchus, C. penicillata, Rattus norvegicus and R. rattus), three are domestic (Bos taurus, Canis familiaris and Felis catus), and 26 are endangered to extinction. The analysis of the spatial distribution of species richness shows that only half of the park area had at least one record, and that records were concentrated where there is logistic infrastructure. The great addition of species in the list highlights the increased research in this protected area and the need for more frequent compilations of results due to ongoing projects. The presence of domestic animals and invasive species, as well as local extinctions detected, indicate the need for management actions within the park. PARNASO plays a prominent role in the conservation of species, maintaining one of the greatest mammal species richness in the State of Rio de Janeiro, and hosting a wide range of studies and long-term projects.
Keywords: Atlantic Forest
Invasive species
Management Plan
Protected area
Species richness
keywords: Espécies invasoras
Mata Atlântica
Plano de Manejo
Riqueza de espécies
Unidade de Conservação
Issue Date: 2019
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Citation: CRONEMBERGER, Cecilia et al. Mamíferos do Parque Nacional da Serra dos Órgãos: atualização da lista de espécies e implicações para a conservação. Oecologia Australis, v. 23, n. 2, p. 191-214, 2019.
DOI: 10.4257/oeco.2019.2302.02
ISSN: 2177-6199
Copyright: open access
Appears in Collections:Fiocruz Mata Atlântica - Artigos de Periódicos
IOC - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RobertoVilela_DiogoLoreto_etal_IOC_2019.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.