Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/35981
Title: Fiocruz no Ar: Sífilis em gestantes - um risco para mães e bebês
Advisor: Portela, Graça
Authors: Portela, Graça
Sangawa, Maya
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Sem Afiliação.
Abstract: Considerada como uma epidemia pelo Ministério da Saúde desde 2016, a sífilis vem avançando no país. Desde 2005, quando começaram a ser coletados os dados sobre a doença, os números só fazem aumentar. Em relação às gestantes, de 2005 a 2018 foram notificados 259.217 casos, sendo que 52% das ocorrências foram em mulheres na faixa etária entre 20 e 29 anos. Causada pela bactéria Treponema Pallidum, a sífilis é uma infecção sexualmente transmissível (IST) e pode ser adquirida por meio de relação sexual sem preservativo ou do contato com feridas expostas – a chamada sífilis adquirida, ou a que é transmitida da gestante para a criança ainda no útero, a sífilis congênita. No caso das gestantes infectadas, a transmissão para o bebê pode levar a danos graves, como parto prematuro, fissura perto da boca, convulsões, surdez, dificuldade de aprendizado e até a morte. Como se desenvolve em quatro fases, a sífilis apresenta sintomas diferentes. Fique atenta a eles: 1. Primária – Duração: 4 a 8 semanas – No início, o único sintoma é uma ferida, indolor, na área infectada (nos órgãos genitais ou garganta). O machucado some no fim dessa fase; 2. Secundária – De 2 a 6 meses – Os principais sinais são machucados pelo corpo. Eles aparecem espalhados, mas se concentram na palma das mãos e nos pés; 3. Latente – De 2 a 40 anos – As feridas e os sintomas desaparecem. A partir desse estágio, ela não é mais contagiosa; 4. Terciária – Até a morte – A sífilis reaparece potente: deforma as pernas e ataca o rosto e o cérebro. Para o tratamento da sífilis é utilizada o antibiótico do tipo penicilina. O importante é manter o cuidado, procurar imediatamente o médico assim que surgirem os sintomas. E nada de se tratar por conta própria! Um erro no tratamento ou a resistência do organismo materno à penicilina, pode causar sérios danos à mãe e à criança. O médico e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Gabriel Osanan, fala sobre essa IST e a importância do tratamento adequado no podcast “Sífilis em gestantes: um risco para mães e bebês”, do Projeto Fiocruz no Ar. Sobre o Projeto Fiocruz no Ar O Projeto Fiocruz no Ar produz podcasts para serem distribuídos para rádios interessadas em veicular – gratuitamente – informação de qualidade, tendo como referência a expertise de 119 anos da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ, do Ministério da Saúde. A distribuição do material também é feita pelo Whatsapp, para que a informação chegue a um maior número de pessoas. O Projeto é uma iniciativa da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação -VPEIC, da Fundação Oswaldo Cruz/Ministério da Saúde. Em anexo, segue o áudio “Sífilis em gestantes: um risco para mães e bebês” para ser divulgado, preferencialmente, em dias e horários alternados. Este programa tem duração de 3m24s. Ouça aqui: https://soundcloud.com/user-881543515/fiocruznoar-sifilis-gestantes Todos os podcasts do projeto Fiocruz no Ar - https://soundcloud.com/user-881543515
DeCS: Sífilis
Gestantes
Antibacterianos
Farmacorresistência Bacteriana
Penicilinas
Issue Date: 2019
Publisher: Graça Portela
Maya Sangawa
Citation: FIOCRUZ no Ar: Sífilis em gestantes - um risco para mães e bebês [Audio podcast]. Coordenadoras: Graça Maria Vieira Portela e Maya Sangawa. Reportagem, Produção e Locução: Maya Sangawa; Locução das vinhetas: André Accarini. Rio de Janeiro: NO3 Produções Artísticas, 2019. 1 MP3 (3min24s).
DOI: https://soundcloud.com/user-881543515/fiocruznoar-sifilis-gestantes
Copyright: open access
keywords: Sífilis
Mulheres Grávidas
Antibióticos Penicilina
Resistência Bacteriana a Antibióticos
Educational goal: Prover informações sobre a sífilis, doença causada pela bactéria Treponema Pallidum que é uma infecção sexualmente transmissível (IST), e pode ser adquirida por meio de relação sexual sem preservativo ou do contato com feridas expostas – a chamada sífilis adquirida, ou a que é transmitida da gestante para a criança ainda no útero, a sífilis congênita.
Appears in Collections:ICICT - REA - Áudio
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FiocruzNoAr_Sifilis_Gestantes.mp36.4 MBaudio/basicView/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.