Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4410
Title: Repercussões sócio-sanitárias da epidemia das fraturas de fêmur sobre a sobrevivência e a capacidade funcional do idoso
Other Titles: Partner-sanitary repercussions of the epidemic of the femur fractures about the survival and the senior's functional capacity
Advisor: Sayeg, Mário Antônio
Authors: Pereira, Silvia Regina Mendes
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: O propósito deste estudo longitudinal retrospectivo foi investigar as repercussões da ocorrência de fratura do fêmur proximal na sobrevivência e perda de capacidade funcional de idosos, um ano após a fratura. Pesquisaram-se 179 mulheres e 67 homens, com idade média de 79,1 anos, em quatro hospitais públicos do Rio de Janeiro. Desenvolveu-se um protocolo, testado em estudo-piloto, tendo-se coletado os dados em prontuários e diretamente com idosos e/ou familiares. Para análise de sobrevivência, investigaram-se curvas estratificadas por variáveis explanatórias potenciais categóricas, através do método não-paramétrico de Kaplan-Meier. Utilizou-se o teste de Wilcoxon para identificar diferenças entre estratos com nível de significância α = 0,05. Fez-se uso de um modelo de regressão de Cox para averiguar o efeito independente dessas variáveis. Na investigação da capacidade funcional, realizaram-se análises bivariadas para identificação de variáveis associadas à piora dessa capacidade, com base no teste do χ2. Identificou-se o efeito independente das variáveis em um modelo de regressão logística. Os modelos finais indicaram tanto a associação entre hazard (risco) de morte, quanto perda da capacidade funcional, com idade e capacidade funcional prévia. Além disso, hazard de morte mostrou-se positivamente associado ao sexo masculino, uso de inotrópicos, presença de delirium e intercorrências per/pós-operatórias, e negativamente associado ao uso de anestesia geral, bloqueadores H2, fisioterapia e obesidade. O risco de perda da capacidade funcional mostrou-se positivamente associado à presença de catarata e insilidade postural prévias e baixo peso, e negativamente associado ao uso de antibióticos no pós-operatório. Dos 154 sobreviventes um ano após a fratura, 52,6 por cento não voltaram ao estado funcional prévio, o que revela a necessidade de melhoria da efetividade do tratamento depois da alta hospitalar, bem como dos cuidados primários de prevenção.
keywords: Fraturas do fêmur
Análise de sobrevivência
Idoso
Issue Date: 2003
Citation: Rio de Janeiro s.n 2003 [150]p
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
163.pdf3.79 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.