Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4532
Title: Avaliaçäo do método geoestatístico no estudo da distribuiçäo espacial da hepatite A
Other Titles: Evaluation of the geostatistical method in the study of the spatial distribution of the hepatitis A
Advisor: Struchiner, Claudio José
Authors: Medronho, Roberto de Andrade
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Avalia o uso das técnicas geoestatísticas para a análise, modelagem e estimativa espacial no campo da Epidemiologia. Para tal, foram analisadas 410 crianças menores de 10 anos residentes nos setores censitários 111 e 112 do segundo distrito do município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil, que participaram de um inquérito soroepidemiológico para hepatite A. A soroprevalência global de anticorpos contra o vírus da hepatite A foi de 24,6 por cento, sendo maior no setor 112 que no setor 111 (29,5 por cento vs. 18,1 por cento p menor ou igual a 0,008). A varioia mostrou de forma consistente eixos de maior continuidade espacial (anisotropia geométrica) da soroprevalência para cada um dos setores, que coincidiram com características geo-ambientais e urbanas propícias à propagaçäo da hepatite A, sugerindo formas distintas de propagaçäo nos setores. Além disso, detectou também o fenômeno de hole effect. Foram construídos três modelos para cada setor (omnnidirecional, com correçäo da anisotropia geométrica e com correçäo do hole effect). O procedimento de estimativa espacial usado foi o da krigagem indicadora, resultando em mapas distintos segundo o tipo de modelo aplicado, sendo que as correçöes da anisotropia geométrica e do hele effect produziram mapas mais consistentes com a distribuiçäo espacial do fenômeno. Os diferentes modelos foram avaliados através do procedimento de validaçäo cruzada. O resultado obtido pela validaçäo cruzada para cada modelo foi discretizado em diversos pontos de corte, construindo-se curvos ROC (Receiver Operator Characteristic) para cada modelo. Estas curvas näo mostraram diferença significativa entre os modelos. Identificou-se também o ponto de corte que continha um equilíbrio entre as melhores sensibilidades e especifidades conjuntas de cada módulo, mensurando-se a proporçäo de casos classificados corretamente neste ponto, para o qual observou-se que o ajuste dos modelos näo foi satisfatório.
keywords: Hepatite A
Distribuição espacial
Análise estatística
Issue Date: 1999
Citation: Rio de Janeiro s.n 1999 146p
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
41.pdf1.76 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.