Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4547
Title: Mulheres, reprodução e Aids: as tramas da ideologia na assistência à saúde de gestantes HIV+
Other Titles: Women, reproduction and Aids: the plots of the ideology in the attendance to the health of pregnant HIV
Advisor: Giffin, Karen Mary
Authors: Barbosa, Regina Helena Simões
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: O eixo central desta pesquisa é a discussão da maternidade no contexto da epidemia de hiv/Aids e suas implicações para o campo reprodutivo, particularmente no que se refere à assistência à saúde das gestantes hiv+. O objeto do estudo é a gravidez hiv+, tanto pela ótica de mulheres hiv+ grávidas, quanto de profissionais de saúde que as assistem. A interface entre o serviço de saúde e as gestantes hiv+ foi um dos aspectos centrais da pesquisa. Teoricamente, foram adotados dois conceitos, ambos referenciados no marxismo: i) o conceito de ideologia, usado para interpretar como as ideologias de gênero e médica atuam na intermediação das relações entre as gestantes hiv+ e os serviços de saúde, e ii) o conceito de gênero que, na perspectiva do feminismo marxista, postula a indissociabilidade entre os mecanismos de opressão das mulheres e os que promovem, no capitalismo, as desigualdades sociais. Foi utilizada a metodologia qualitativa, com o uso de duas técnicas de coleta de dados: a observação participante das atividades assistenciais do serviço de saúde e entrevistas individuais semi-estruturadas com gestantes hiv+ e a equipe assistencial, totalizando 27 entrevistas. Os temas abordados foram: representações de gênero, a maternidade, a gravidez hiv+ e a avaliação da assistência à saúde. Com os profissionais de saúde, foram incluídos os dilemas éticos relacionados às decisões reprodutivas das mulheres hiv+. O locus da pesquisa foi um programa de referência na assistência às gestantes hiv+ localizado em um hospital público do Rio de Janeiro. Os resultados relacionados às entrevistas com as gestantes apontaram para as estreitas conexões entre gênero e classe social na conformação da vulnerabilidade feminina ao hiv. Foi evidenciado que a gravidez hiv+ se sobrepõe às dificuldades de sobrevivência anteriores, o que exige do serviço de saúde suportes sociais adicionais, inclusive para assegurar a eficácia do tratamento de prevenção da transmissão vertical. A assistência à saúde foi avaliada, pelas pacientes, de forma positiva, particularmente em função do suporte psico-social oferecido. A observação do serviço e as entrevistas com os profissionais de saúde mostraram que, embora a ideologia médica, entrelaçada à ideologia de gênero, estruture e informe práticas e posturas profissionais, os profissionais desta equipe são sensíveis para perceber os problemas e dificuldades sócio-familiares das pacientes, sensibilizam-se com suas agudas carências sociais e mobilizam-se para oferecer-lhes suporte social, sendo que este, no limite, torna-se necessário para garantir a eficácia da intervenção médica. Por fim, manifestam senso crítico sobre as atuais políticas de saúde que se refletem, entre outras, em agudas carências e deficiências no serviço público, e percebem a necessidade de integrar, na assistência à saúde, as dimensões afetiva, familiar e social, expressando o anseio pela integralidade na assistência à saúde. Identificou-se, portanto, apesar das limitações do modelo e da ideologia médica, um campo potencial para transformações nas práticas de saúde que apontam para a assistência integral à saúde na perspectiva dos direitos sexuais e reprodutivos.
Abstract: The central point of this research is the discussion of motherhood in the context of the HIV/AIDS epidemic and it’s implications on the reproductive field, particularly on health care for the HIV+ pregnant women. The research object is HIV+ pregnancy, from the points of view of pregnant HIV+ women and health professionals who assist them. The connection between the health services and the HIV+ pregnant women was one of the central aspects of the study. Theoretically, two concepts, grounded on Marxism, were adopted: i) the concept of ideology interpreted the role of both gender and medical ideologies in the intermediation of the relations between HIV+ pregnant women and health services; and ii) the concept of gender that, from the feminist Marxism approach, points to the inseparable connections between gender oppression and capitalist exploitation. The qualitative methodology was chosen and two data assessment techniques were used: the participative observation of health care activities and individual semi-structured interviews with HIV+ pregnant women and the health staff, totalizing 27 interviews. The addressed themes were: gender representations, motherhood, HIV+ pregnancy and the evaluation of health assistance. The health professionals ethical dilemmas related to the reproductive decisions of the HIV+ women were included. The research locus was a HIV+ pregnant women reference attendance program, located at a public hospital in Rio de Janeiro. The results related to the pregnant women pointed out to the deep connections between gender and social class in the conformation of female vulnerability to HIV. It was shown that HIV+ pregnancy is leading to new problems that overcome previous surviving difficulties. This demands from the health care services additional social supports to ensure the efficiency of the vertical transmission prevention treatment. The patients have evaluated positively the health attendance, particularly due to the psycho-social support provided. The health service observation and health professionals interviews showed that, although the medical ideology interlaced with the gender ideology, structures and informs professional practices and postures, these professionals are sensitive to perceive the surviving difficulties of their patients. They feel touched by their deep social privations and mobilize themselves in order to provide them with some social support. This is, after all, necessary to ensure the medical intervention efficiency. These professionals express a critical view over the current health policies which result, among others, in deep needs and deficiencies in the public service. Finally, they aspire to integrate the affective, familiar and social dimensions to health care approach, pointing to the concept of ‘integrality’ in health assistance. In despite of the medical model and ideology, it has been identified a potential field to changes in the health practices that points to the integral health attendance in the perspective of sexual and reproductive rights.
keywords: Prestação de Cuidados de Saúde
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Serviços de Saúde Materna
Complicações na Gravidez
HIV
DeCS: Assistência à Saúde
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Serviços de Saúde Materna
Complicações na Gravidez
HIV
Issue Date: 2001
Citation: BARBOSA, Regina Helena Simões. Mulheres, reprodução e Aids: as tramas da ideologia na assistência à saúde de gestantes HIV+. 2001. 314 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública)-Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2001.
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
91.pdf2.83 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.