Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/5440
Title: A dinâmica do trabalho em saúde mental: limites e possibilidades nacontemporaneidade e no contexto da reforma psiquiátrica brasileira
Other Titles: The dynamics of the work in mental health: limits and possibilities in the contemporaneity and in the brazilian psychiatric reform context
Advisor: Azevedo, Creuza da Silva
Authors: Vasconcellos, Vinicius Carvalho de
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Esta investigação tem por objetivo compreender a dinâmica do trabalho em Saúde Mental em seus elementos organizacionais, simbólicos e imaginários, valendo-se para a consecução de tal intento deferramentas teórico-conceituais do campo das organizações e utilizando como via de acesso o cotidianoe as narrativas dos profissionais sobre suas práticas. Nesta linha, os serviços de Saúde Mental são analisados por meio das lentes da psicossociologia francesa, que concebe as organizações como sistemas complexos e multifacetados, além de essencialmente permeadas por construções simbólicas eimaginárias que cruzam as relações intersubjetivas travadas pelos trabalhadores. A partir dessa leituraorganizacional, o trabalho em Saúde Mental é estudado prioritariamente por meio de sua inserção no mundo contemporâneo e das transformações presentes no campo da Saúde Mental, sobretudo a partir da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Esses macrocenários operam como enquadres que oferecem limites epossibilidades ao exercício do trabalho em Saúde Mental, condicionando-o sobremaneira. Em termosmetodológicos, esta investigação delineou-se como um estudo qualitativo. Foi realizada uma pesquisa de campo no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Arthur Bispo do Rosário, situado zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Duas estratégias foram privilegiadas nesta pesquisa de campo: a observaçãoparticipante e as entrevistas semi -estruturadas. Os resultados obtidos permitiram compreender cada atoassistencial na Saúde Mental como um arranjo de elementos simbólicos, imaginários e organizacionais que se condensam, de forma dinâmica, em uma série de atravessamentos, tais como: a história da instituição, as relações institucionais e a interação do serviço com a rede de serviços assistenciais, osuporte material, o funcionamento da equipe multidisciplinar e a organização do trabalho, os sentidos da assistência e vínculo subjetivo dos profissionais com a instituição e com o seu trabalho. Detectou-se também que a Reforma Psiquiátrica, ainda que imersa no contexto contemporâneo adverso a projetos coletivos, consegue aglutinar profissionais em torno de seus ideais. Desta forma, o projeto da ReformaPsiquiátrica opera como um imaginário motor e serve de alicerce para mudanças no plano simbólico eimaginário, tanto no âmbito coletivo como na subjetividade dos profissionais, ensejando novas representações e imagens sobre o louco, os objetivos da assistência, o papel do técnico e a relação terapêutica; contudo, os técnicos enfrentam dificuldades em apreender e vivenciar esse processo detransmutação do cuidado, especialmente em função das ameaças e exigências psíquicas que lhe são inerentes.
keywords: Saúde Mental
Reforma dos Serviços de Saúde
Psiquiatria
Trabalho
Issue Date: 2008
Citation: Rio de Janeiro s.n 2008 269p b
Place of defense: Rio de Janeiro
Department: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Copyright: open access
Appears in Collections:ENSP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
997.pdf1.47 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open



FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.