Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/6922
Title: Análises morfológicas, morfométricas e moleculares revelam uma nova espécie do gênero Triatoma do Estado do Tocantins, Brasil
Advisor: Gonçalves, Teresa Cristina Monte
Members of the board: Galvão, Cléber
Costa, Jane
Almeida, Carlos Eduardo
Mello, Rubens Pinto de
Gomes, Suzete Araujo Oliveira
Authors: Neves, Simone Caldas Teves
Coordinator: Gaspar, Ana Maria Coimbra
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: O estado do Tocantins, endêmico para a doença de Chagas, carece de estudos sobre a fauna triatomínica silvestre presente em seu bioma predominante, o Cerrado, que, ao lado da mata Atlântica, constitui um dos biomas de maior biodiversidade do planeta. No estudo de monitoramento entomológico realizado no município de Paranã –TO, em parceria entre o Laboratório de Transmissores de Leishmanioses IOC – FIOCRUZ e a ENERPEIXE SA foram capturados espécimes de triatomíneos do gênero Triatoma não passíveis de identificação taxonômica específica pela morfologia clássica sugerindo um novo morfotipo. Uma abordagem multidisciplinar, abrangendo caracterização morfológica e molecular foi realizada para verificar se estes espécimes sustentam a hipótese de um novo status específico. Os espécimes de estudo juntamente com T. costalimai foram capturados em afloramentos rochosos nos municípios de Paranã e Aurora do Tocantins – TO, respectivamente. A morfologia foi estudada por morfometria clássica de estruturas de valor taxonômico, abrangendo a genitália externa de fêmeas por microscopia eletrônica de varredura e a morfometria geométrica das asas. A filogenia molecular foi estabelecida com base em sequências de DNA mitocondrial. Para fins de comparação foram utilizados espécimes de Triatoma williami, espécie afim de T. costalimai, e de Triatoma sordida, assim como seqüências Rhodnius stali e Rhodnius prolixus, utilizados como grupo externo, obtidas no Genebank. Triatoma sp. diferenciou-se de T. costalimai e T. williami quanto ao tamanho, coloração geral do corpo e mancha do conexivo. A morfometria clássica mostrou que machos e fêmeas de Triatoma sp. são menores que os de T. costalimai. O estudo da genitália externa de fêmeas mostrou diferenças de Triatoma sp. em relação a T. costalimai e T. williami e possibilitou a descrição de cerdas e espinhos nunca estudados nestes grupos. Pela morfometria geométrica das asas tanto o tamanho quanto a conformação, separou os espécimes de estudo das demais espécies. As relações morfométricas não foram de encontro com as filogenéticas. A variação de tamanho de Triatoma sp. pode ser uma expressão da plasticidade gênica, diante das variações ambientais. Entretanto, as variações morfológicas observadas nas diferentes abordagens estão associadas à composição gênica de cada inseto. Apesar das semelhanças morfológicas, verficou-se a separação de Triatoma sp. e T. costalimai no estudo filogenético. Os resultados são consistentes para inferir que Triatoma sp. trata-se de uma nova espécie. O encontro recente de Triatoma sp. em domicílio no município de Paranã ressalta a importância de mais estudos sobre a biologia desta nova espécie.
Abstract: O estado do Tocantins, endêmico para a doença de Chagas, carece de estudos sobre a fauna triatomínica silvestre presente em seu bioma predominante, o Cerrado, que, ao lado da mata Atlântica, constitui um dos biomas de maior biodiversidade do planeta. No estudo de monitoramento entomológico realizado no município de Paranã –TO, em parceria entre o Laboratório de Transmissores de Leishmanioses IOC – FIOCRUZ e a ENERPEIXE SA foram capturados espécimes de triatomíneos do gênero Triatoma não passíveis de identificação taxonômica específica pela morfologia clássica sugerindo um novo morfotipo. Uma abordagem multidisciplinar, abrangendo caracterização morfológica e molecular foi realizada para verificar se estes espécimes sustentam a hipótese de um novo status específico. Os espécimes de estudo juntamente com T. costalimai foram capturados em afloramentos rochosos nos municípios de Paranã e Aurora do Tocantins – TO, respectivamente. A morfologia foi estudada por morfometria clássica de estruturas de valor taxonômico, abrangendo a genitália externa de fêmeas por microscopia eletrônica de varredura e a morfometria geométrica das asas. A filogenia molecular foi estabelecida com base em sequências de DNA mitocondrial. Para fins de comparação foram utilizados espécimes de Triatoma williami, espécie afim de T. costalimai, e de Triatoma sordida, assim como seqüências Rhodnius stali e Rhodnius prolixus, utilizados como grupo externo, obtidas no Genebank. Triatoma sp. diferenciou-se de T. costalimai e T. williami quanto ao tamanho, coloração geral do corpo e mancha do conexivo. A morfometria clássica mostrou que machos e fêmeas de Triatoma sp. são menores que os de T. costalimai. O estudo da genitália externa de fêmeas mostrou diferenças de Triatoma sp. em relação a T. costalimai e T. williami e possibilitou a descrição de cerdas e espinhos nunca estudados nestes grupos. Pela morfometria geométrica das asas tanto o tamanho quanto a conformação, separou os espécimes de estudo das demais espécies. As relações morfométricas não foram de encontro com as filogenéticas. A variação de tamanho de Triatoma sp. pode ser uma expressão da plasticidade gênica, diante das variações ambientais. Entretanto, as variações morfológicas observadas nas diferentes abordagens estão associadas à composição gênica de cada inseto. Apesar das semelhanças morfológicas, verficou-se a separação de Triatoma sp. e T. costalimai no estudo filogenético. Os resultados são consistentes para inferir que Triatoma sp. trata-se de uma nova espécie. O encontro recente de Triatoma sp. em domicílio no município de Paranã ressalta a importância de mais estudos sobre a biologia desta nova espécie.
DeCS: Triatominae/ classificação
Triatominae/citologia
Filogenia
Doença de Chagas
Issue Date: 2012
Publisher: Instituto Oswaldo Cruz
Citation: NEVES, Simone Caldas Teves. Análises morfológicas, morfométricas e moleculares revelam uma nova espécie do gênero Triatoma do Estado do Tocantins, Brasil. 2012. 99f. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) - Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Oswaldo Cruz, 2012
Date of defense: 2012-03-27
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Biologia Parasitária
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz
Program: Programa de Pós-Graduação em Biologia Parasitária
Copyright: open access
Appears in Collections:IOC - PGBP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
simone_neves_ioc_mest_2012.pdf4.05 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.