Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/8048
Title: Comparação da heterogeneidade genética e da sensibilidade in vitro ao antimoniato de meglumina entre amostras de Leishmania braziliensis isoladas de pacientes Respondedores e Não Respondedores ao tratamento da leishmaniose cutânea
Advisor: Schubach, Armando de Oliveira
Madeira, Maria de Fátima
Members of the board: Rosalino, Claudia Maria Valete
Pimentel, Maria Inês Fernandes
Silva, Aline Fagundes da
Oliveira, Fernanda Santos
Ribeiro, Flavia Coelho
Authors: Braga, Thalita Gagini
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas. Rio de Janeiro,RJ, Brasil
Abstract: Pacientes com leishmaniose cutânea (LC) apresentam variada resposta à terapêutica com antimoniais pentavalentes, desde a cura clínica até a falha terapêutica e reativação da doença. Aspectos relacionados ao hospedeiro, aos parasitos, aos diferentes fármacos e aos diferentes esquemas terapêuticos podem influenciar nesse desfecho. No estado do Rio de Janeiro, tem sido relatada resposta terapêutica favorável a baixas doses de antimoniais (5mg Sbv/kg/dia). É possível que esse resultado esteja relacionado a características genéticas das subpopulações de Leishmania braziliensis que circulam nesse Estado. Neste estudo investigou-se a variabilidade genética e a sensibilidade in vitro ao antimoniato de meglumina de amostras de L. braziliensis, comparando isolados obtidos de pacientes com LC respondedores ou não respondedores ao tratamento com 5mg Sbv/Kg/dia. Foram estudadas amostras de pacientes diagnosticados no Laboratório de Vigilância em Leishmanioses (Vigileish) do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas - Fundação Oswaldo Cruz entre 1999 e 2011. Utilizamos uma amostra de conveniência compreendendo 54 isolados recuperados do banco de cepas do Vigileish, as quais foram distribuídas em quatro subgrupos obedecendo a critérios de inclusão: RRJ) Respondedores ao primeiro curso de tratamento, com infecção adquirida no estado do Rio de Janeiro; NRRJ) Não respondedores ao primeiro curso de tratamento, com infecção no estado do Rio de Janeiro; ROE) Respondedores ao tratamento, com infecção adquirida em outros estados brasileiros e NROE) Não respondedores, com infecção em outros estados brasileiros A metodologia utilizada compreendeu inicialmente a caracterização das amostras pela técnica de isoenzimas e após, avaliação da sensibilidade ao antimoniato de meglumina por diluição limitante (DL50) utilizando formas promastigotas e análise da variabilidade genética por Low-Stringency Single-Specific-Primer (LSSP-PCR). Dados clínicos e laboratoriais relacionados ao diagnóstico dos pacientes e aos resultados obtidos neste estudo foram analisados estatisticamente por cálculos em Excel e usando o programa GraphPadPrism 5.0. Os níveis da dose letal de 50% (DL50) das amostras variaram, respectivamente, de 1.9 a 6.0 mg/mL e de 2.3 a 6.4 mg/mL para pacientes respondedores ao tratamento e para pacientes não respondedores, e os valores médios para cada grupo apresentaram diferença significativa (p=0,0007). A diferença se manteve quando os grupos foram analisados separadamente por local de origem Entretanto, não foi possível associar tal resultado a padrões genéticos dos parasitos estudados após análise dos dendrogramas gerados pela técnica de LSSP-PCR. Os valores médios da Intradermorreação de Montenegro (IDRM) foram significativamente maiores em pacientes respondedores (p= 0,0301). É possível que, no grupo estudado, fatores relacionados ao hospedeiro sejam mais importantes para variação da resposta terapêutica que os fatores genéticos do parasito e que o resultado da IDRM possa ser um indicativo de resposta terapêutica na LC
Abstract: Patients with cutaneous leishmaniasis (CL) have varied response to the therapy with pentavalent antimonials, from clinical cure to therapeutic failure and reactivation of the disease. Aspects related to the host, to parasites, to different drugs and different therapeutic schemes can influence this outcome. In Rio de Janeiro State, good therapeutic response with low doses of antimonials (5 mg Sbv/kg/day) has been reported. It is possible that this result is related to genetic characteristics of Leishmania braziliensis subpopulations circulating in that State. This study investigated the in vitro sensitivity of samples of L. braziliensis to meglumine antimoniate, as well as their genetic variability, comparing isolates obtained from CL responder patients or unresponders to treatment with 5 mg Sbv/kg/day. These patients were diagnosed at the Leishmaniasis Surveillance Laboratory (Vigileish) at the Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas – Fundação Oswaldo Cruz, between 1999 and 2011, and parasite strains obtained from samples of their skin lesions were studied. We used a convenience sample comprising 54 isolated retrieved from the Vigileish archived strains, which were distributed in four subgroups according to the following inclusion criteria: RRJ) Responders to the first course of treatment, with infection acquired in the State of Rio de Janeiro; NRRJ) Unresponders to the first course of treatment, with infection in the State of Rio de Janeiro; ROE) Responders to the treatment, with infection acquired in other Brazilian States and NROE) Unresponders, with infection in other Brazilian States. The methodology comprised initially the characterization of the samples by isozymes technique and after, assessment of sensitivity to meglumine antimoniate by limiting dilution using promastigote forms and analysis of genetic variability by Low- Stringency- Single-Specific Primer (LSSP-PCR). Clinical and laboratory data related to diagnosis of patients and the results obtained in this study were statistically analyzed through Excel calculations and using the program Graph Pad Prism 5.0. The levels of the 50% lethal dose (LD50) of the samples varied from 1.9 to 6.0 mg/mL and from 2.3 to 6.4 mg/mL for Responder patients and for Unresponder patients, respectively, and the results for each group presented significant difference (p = 0.0007). The difference persisted when the groups were analyzed separately according to the origin location. However, it was not possible to associate this result to the parasites genetic patterns after analysis of dendrograms generated by the LSSP-PCR technique. The average values of Montenegro Skin Test (MST) were significantly higher in Responder patients (P = 0.0301). It is possible that, in the studied groups, host-related factors are more important for variation of therapeutic response than the parasite genetic factors, and the result of MST can be an indication of the therapeutic response in CL.
DeCS: Leishmania braziliensis
Leishmaniose Cutânea
Testes Intradérmicos
Antimônio
Reação em Cadeia da Polimerase
Issue Date: 2012
Citation: BRAGA, T. G. Comparação da heterogeneidade genética e da sensibilidade in vitro ao antimoniato de meglumina entre amostras de Leishmania braziliensis isoladas de pacientes Respondedores e Não Respondedores ao tratamento da leishmaniose cutânea. Rio de Janeiro. 2012. 110f. Tese (Doutorado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas) – Fundação Oswaldo Cruz, Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas, Rio de Janeiro, 2012.
Date of defense: 2012
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas
Program: Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - PCDI - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
talita_braga_ipec_dout_2011.pdf2.09 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.