Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/8648
Title: Mobilidade social intergeracional e saúde no Brasil: uma análise do survey "Pesquisa dimensões sociais das desigualdades (PDSD)", 2008
Authors: Flor, Luisa Sorio
Laguardia, Josué
Campos, Monica Rodrigues
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: Embora a maioria dos estudos apresente a saúde como resultante da inserção social dos in- divíduos, ela pode ser um fator determinante das oportunidades sociais alcançadas, principalmente no que diz respeito às chances de mobilidade soci- al. O objetivo do artigo é conhecer a magnitude das associações simultâneas que as condições soci- odemográficas, de saúde e de qualidade de vida (SF- 36) exercem nas chances de mobilidade intergera- cional de uma amostra probabilística de domicíli- os no Brasil em 2008. A mobilidade foi determina- da pela transição entre grupos ocupacionais defi- nidos através da escala de Ganzeboom. Variáveis sociodemográficas, de saúde e de qualidade de vida foram associadas às chances de mobilidade inter- geracional ascendente através de regressão logísti- ca. O aumento da escolaridade foi o principal de- terminante das chances de mobilidade. Mulheres e jovens ascenderam mais intergeracionalmente. Foi observada associação positiva entre autoavalia- ção de saúde, escores de saúde física e mobilidade ascendente. A mobilidade social firmou-se como um evento multideterminado. A saúde física e a percebida se colocaram como recursos capazes de influírem nas transições sociais
Abstract: Although most studies consider health to be the result of social and economic insertion of the individuals, health may be considered a deter- mining factor of the social opportunities achieved, especially with respect to chances of social mobil- ity. The scope of this article is to understand the magnitude of the concurrent associations that so- ciodemographic, health and quality of life condi- tions (SF-36) exercise on chances of intergenera- tional social mobility on a probability sample of Brazilian homes in 2008. Social mobility was de- termined by the transition between occupational groups, which were defined using the Ganzeboom scale. Sociodemographic, health and quality of life features were associated with upward social mo- bility through logistic regression. A high level of schooling was the main determinant of chances of intergenerational social mobility. Women and youngsters ascended more intergenerationally. A positive association was observed between self as- sessment of health, physical health scores and up- ward mobility. Social mobility has become estab- lished as a multideterminate event. Physical health and perceived health were capable of influencing social transitions
keywords: SF-36
Ocupação
Posição social
DeCS: Mobilidade Social
Qualidade de Vida
Iniquidade Social
Issue Date: 2014
Publisher: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Citation: FLOR, L. S; LAGUARDIA, J; CAMPOS, M. R. Mobilidade social intergeracional e saúde no Brasil: uma análise do survey “Pesquisa dimensões sociais das desigualdades (PDSD)”, 2008”. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.19, n.6, p. 1869-1880, 2014
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014196.04362013
ISSN: 1413-8123
Copyright: open access
Appears in Collections:ICICT - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mobilidade social intergeracional e saúde no Brasil.pdf89.42 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.