Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/9079
Title: Análise do perfil de carga viral e de resistência genotípica do HIV em secreções genitais de gestantes submetidas à quimioprofilaxia para prevenção da transmissão vertical
Advisor: Morgado, Mariza Gonçalves
Grinsztejn, Beatriz Gilda Jegerhorn
Members of the board: Castelo Branco, Luíz Roberto
Betancu, Gonzalo Bello
Machado, Elizabete
Teixeira, Sylvia Lopes Maia
Authors: Pedro, Adriana Rodrigues
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Abstract: Introdução: A presença do HIV no trato genital feminino tem um papel importante no estudo da transmissão vertical, bem como na transmissão heterossexual do vírus. A quantificação, viral nas secreções genitais é essencial par estudar a compartimentalização viral e desenvolver estratégias de intervenção para evitar a transmissão do HIV e a disseminação de variantes resistentes aos antirretrovirais. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar o perfil de carga viral em secreções genitais de gestantes submetidas à quimioprofilaxia para prevenção da transmissão vertical do HIV antes da introdução da terapia antirretroviral (TARV), e após sua descontinuidade no parto, avaliando uma possível correlação com a carga viral plasmática. Além disso, foi feito o seqüenciamento de nucleotídeos das variantes virais presentes nas secreções no intuito de avaliar o polimorfismo viral e a presença de mutações de resistência. Material e Métodos: Uma coorte de 274 gestantes portadoras infectadas pelo HIV, virgens de tratamento, foi acompanhada no Hospital Geral de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, de 2005 a 2008. Desse grupo, um total de 117 gestantes aceitou participar deste subestudo e todas assinaram um termo de consentimento livre esclarecido. A coleta de amostras de plasma e secreção na visita de inclusão no estudo (pré-TARV) foi possível para 92 gestantes. As amostras cervicovaginais foram coletadas em tiras Tear Flow®, estocadas em 500\03BCL de tampão NASBA® e armazenadas a -70°C. Essas amostras foram submetidas à quantificação do RNA-HIV-1 através do NASBA Nuclisens EasyQ® (bioMérieux). O bDNA® (Siemens) foi utilizado para determinar a carga viral no plasma. O RNA do HIV-1 no plasma foi comparado ao da secreção genital. Para a genotipagem as amostras foram analisadas utilizando o Kit ViroSeq®. As amostras que não amplificaram por esta metodologia foram resgatadas utilizando-se um método in house As seqüências foram editadas e analisadas através de ferramentas de bioinformática para a determinação do subtipo viral, polimorfismos e mutações de resistência. Resultados: O RNA do HIV-1 foi detectado em 40 (43,5%) das 92 amostras de secreção genital e em 83 (91,3%) das amostras plasma no momento pré-TARV. A análise comparativa das cargas virais entre o plasma e a secreção genital foi realizada para 74 amostras. Foi evidenciado que cerca de 50% (36/74) das amostras de plasma e secreção genital encontra-se na mesma faixa de carga viral. Destas, 13 (36%) na faixa de detecção abaixo de 1000 cópias/ml, 9 (25%) para a faixa intermediária de 1.000 \2013 10.000 cp/ml e 14 (39%) para a faixa acima de 10.000 cp/ml. Trinta e oito amostras (51%) tiveram perfil discordante na comparação entre as diferentes faixas de CV, com maior discrepância na faixa intermediária (1.000 \2013 10.000 copias/ml), confirmando as diferenças entre níveis analisados de carga viral plasmática e na secreção genital antes da introdução de TARV (p=0,013). No momento pós-TARV, 43 mulheres possuíam amostra genital e plasmática posterior à interrupção do tratamento. Estas amostras foram obtidas nas visitas realizadas entre dois e seis meses após o parto, com uma mediana de 3,5 meses (DP= 1,7, IQI= 2-6). Das 43 amostras genitais coletadas, 36 geraram resultados mensuráveis de carga viral e sete foram inválidas para o teste Na distribuição da CV nos dois compartimentos observamos que 55,8% das mulheres tinham CV detectável na secreção genital e uma proporção mais elevada de CVs indetectáveis na secreção quando comparada ao plasma. A amplificação e a genotipagem foram obtidas para 24 (60%) amostras no momento pré-TARV e 13 (40%) das 34 amostras no momento pós-TARV. A análise das seqüências obtidas não revelou nenhuma mutação de resistência primária aos antirretrovirais, embora a presença de alguns polimorfismos e mutações acessórias tenha sido verificada. Conclusão: Estes resultados sugerem que a CV do HIV no plasma é um importante preditor da CV nas secreções genitais. Entretanto, pode haver excreção do HIV nas secreções genitais, ainda que a na ausência de viremia. Algumas mulheres apresentaram um perfil de carga viral e de polimorfismos distintos no plasma e na secreção genital, sugerindo que o compartimento genital pode funcionar como um reservatório para a replicação e diferenciação do HIV
Abstract: Introduction: The presence of HIV - 1 in the female genital tract has an important role in mother - to - child transmission (MTCT) of HIV, as well as hetero sexual transmission. Quantitation of HIV - 1 levels in mucosal secretions is essential to study compartmentalization of HIV - 1 and to develop intervention strategies to prevent HIV transmission , as well as the dissemination of viral variants resistant to anti retroviral drugs . Aim: The aim of this study was to analyze the profile of HIV - 1 viral load in genital secretions in HIV - infected pregnant women submitted to chemoprophylaxis for the prevention of MTC T before treatment and after its discontinuation at deli very . T he quantification of HIV - 1 viral load was undertaken in the women’s genital tract to evaluate a possible correlation with plasma HIV viral load. Moreover, genotypi ng of HIV samples in the genital secretions was performed to assess viral polymorphism s and antiretroviral drug resistance profiles . Methods: A cohort of 274 HIV - 1 infected pregnant women , antiretroviral - naïve, was followed up at the Hospital Geral de Nova Iguacu , Rio de Janeiro, from 2005 to2008 . Of that group, a total of 117 pregnant wome n agreed to participate in this sub study and all women signed an informed consent form. The study has been approved by the IPEC IRB. Collection of plasma samples and genital secretions was possible for 92 pregnant women at the inclusion in the study , befo re starting antiretrovirals. HIV - 1 RNA has been quantified in the plasma and in the genital secretion. The cervicovaginal samples were collected in Flow Tear  , stored in 500 μ L of NASBA buffer and stored at - 70 ° C. The methodology bDNA ® ( Siemens) was used to determine viral load in plasma and EasyQ NucliSens NASBA ® (bioMérieux ) was used for the quantification of genital samples . The HIV - 1 RNA in plasma was compared to that of vaginal secretions. For genotyping analysis the samples were analyzed using the ViroSeq ® Kit. The samples that could not be amplified by this method were tested using an in - house method. The sequences were edited and further analyzed using bioinformatics tools for HIV subtype determination and assessment of viral polymorphisms and dru g resistance mutations. Results: The HIV - 1 RNA was detected in 40 (43.5 %) of 92 genital secretion samples and in 83 ( 91.3%) of 92 plasma samples. The comparative analysis of HIV - 1 viral loads between plasma and genital secretions was performed for 74 samp les. It was shown that the viral load in about 50% (36/74) of the plasma and genital secretion samples were found to be in the same range. Of these, 13 (36%) were in the detection range below 1.000 copies/ml, 9 (25%) in the intermediate range (1.000 to 10. 000 copies/ml) and 14 (39%) were above 10.000 copies/ml. Thirty - eight samples (51%) were discordant in viral load analysis in both compartments, with a greater discrepancy observed in the intermediate range (1.000 to 10.000 copies/ml), confirming the diffe rences of plasma and genital secretions viral loads before the introduction highly active antiretroviral therapy (HAART) (p=0.013. In the postpartum period, after HAART discontinuation, 43 women had samples of plasma and genital secretion available for HIV - 1 viral load analyses. These samples were obtained between the two weeks and the six month visit (SD= 1.7, IQI = 2 - 6). Of the 43 genital samples collected, 36 had measurable viral loads and seven were invalid for the test. In the distribution of viral loa d in the two compartments, 55.8% of women had detectable viral load in the genital secretions. Undetectable HIV - 1 viral load was seen more frequently in the genital secretions, when compared to plasma samples. Genotyping was obtained for 24 (60%) samples c ollected before HAART and for 13 (40%) samples after HAART. Sequence analyses did not show any drug resistance mutation, although the presence of some polymorphisms and accessory mutations has been verified. Conclusions: These results suggest that HIV - 1 vi ral load detection in plasma is an important predictor of HIV - 1 viral load in the genital secretions. However, there may be excretion of HIV - 1 in genital secretions, even in the absence of detectable HIV - 1 viral load in plasma. Some women had distinct vira l load profile s and HIV polymorphisms in plasma and genital secretions, suggesting that the genital compartment may act as a reservoir for HIV - 1 replication and differentiation
DeCS: HIV
Gestantes
Carga Viral
Terapia Antirretroviral de Alta Atividade
Genitália Feminina
Quimioprevenção
Issue Date: 2011
Citation: PEDRO, A. R. Análise do perfil de carga viral e de resistência genotípica do HIV em secreções genitais de gestantes submetidas à quimioprofilaxia para prevenção da transmissão vertical. Rio de Janeiro, 2011. 108f. Dissertação (Mestrado em Pesquisa Clínica em doenças Infecciosas) – Fundação Oswaldo Cruz, Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas, Rio de Janeiro, 2011
Date of defense: 2011
Place of defense: Rio de Janeiro/RJ
Department: Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Defense institution: Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas
Program: Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
adriana_pedro_ipec_mest_2011.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.