Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/28071
Title: O Ensino da Patologia e Sua Influência na Atuação de Patologistas e Infectologistas no Rio de Janeiro
Other Titles: Influence of Pathology Teaching on the Performance of Pathologists and Infectious Diseases Specialists in Rio de Janeiro
Authors: Pereira, Patrícia Fonseca
Souza, Claudia Teresa Vieira
Hora, Dinair Leal
Possas, Cristina de Albuquerque
Menezes, Rodrigo Caldas
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz.Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz.Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Instituto Evandro Chagas, Ananindeua, Pará, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz.Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz.Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Abstract: Estudos sobre o ensino da patologia no Brasil são escassos e mostram um cenário desmotivador para estudantes e professores. Embora essa disciplina seja fundamental à formação médica, o distanciamento entre o seu ensino e o das demais disciplinas clínicas leva ao não reconhecimento, por parte dos estudantes, da importância da patologia para a formação profissional, especialmente na área de doenças infecciosas. O objetivo deste estudo foi investigar o processo de formação e produção do conhecimento em patologia em três faculdades de Medicina com ensino tradicional no Estado do Rio de Janeiro e seu impacto na atuação de patologistas e infectologistas. Trata-se de um estudo qualitativo com utilização da técnica do discurso do sujeito coletivo em entrevistas semiestruturadas. Foram entrevistados sete professores de patologia de duas faculdades públicas e de uma particular e dez médicos – cinco patologistas que atuavam no Rio de Janeiro e cinco infectologistas de um centro de referências em doenças infecciosas no Rio de Janeiro. A disciplina de patologia é oferecida de forma descontextualizada em períodos específicos. Professores reconhecem que aulas descontextualizadas não estimulam o interesse pela especialidade nem preparam estudantes para interação com patologistas e serviços de anatomia patológica. Para infectologistas, falta percepção da importância da patologia na graduação, o que para patologistas gera dificuldades na interação com infectologistas, resultando em preenchimento incompleto de solicitação de exames histopatológicos, dificuldade na interpretação de laudos e envio inadequado de amostras. Infectologistas e patologistas acreditam que mais aulas práticas, maior integração com a clínica e a presença do patologista em outros cenários de aprendizagem aumentem o interesse pela patologia. Todos os professores, infectologistas e patologistas pesquisados reconheceram a existência de lacunas no ensino-aprendizagem na disciplina de patologia na graduação médica e a necessidade de reformulação para torná-la uma especialidade mais interessante e alinhada à realidade profissional.
Abstract: Studies on the teaching of pathology are scarce in Brazil and show a demotivating scenario for students and professors. Although it is fundamental for medical training, the distance between pathology and other clinical disciplines leads to students not recognizing the importance of pathology for their professional education, especially in the field of infectious diseases. The aim of this study was to investigate the teaching-learning process of pathology in three medical schools in the state of Rio de Janeiro which offer traditional teaching, and its impact on the work of pathologists and infectious disease specialists. It is a qualitative study using the collective subject discourse technique in semi-structured interviews. We interviewed seven pathology professors from the three medical schools along with 10 physicians, five pathologists working in pathology laboratories and five infectious disease specialists from a referral center on infectious diseases in Rio de Janeiro. The discipline of pathology is taught in a non-contextualized manner limited to a few semesters. Professors recognize that non-contextualized classes neither stimulate interest in the specialty nor prepare students for interaction with pathologists and pathology laboratories. For infectious disease specialists, medical undergraduates’ lack of perception regarding the importance of pathology leads to difficult interaction between pathologists and infectious disease specialists. This difficult interaction translates into incomplete histopathological requests, difficulty in interpreting pathology reports and inadequate sending of samples. Infectious disease specialists and pathologists believe that a focus on more practical activities, greater integration with clinical disciplines and the presence of pathologists in other learning scenarios would increase interest in pathology. All the professors and physicians surveyed acknowledged the existence of gaps in the teaching of pathology in medical schools and the need for a reformulation to make it a more interesting discipline and aligned with future practice.
Keywords: Medical Education
Pathology
Communicable Diseases
keywords: Educação Médica
Patologia
Doenças Transmissíveis
Issue Date: 2018
Citation: PEREIRA, Patricia F. et al. O Ensino da Patologia e Sua Influência na Atuação de Patologistas e Infectologistas no Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 1, p. 214 - 223, 2018.
DOI: 10.1590/1981-52712018v42n1rb20170106
ISSN: 0100-5502
Copyright: open access
Appears in Collections:INI - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
0100-5502-rbem-42-01-0216.pdf179.25 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksBibTex Format mendeley Endnote DiggMySpace

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.